16:02 20 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    2160
    Nos siga no

    Desde 2014, a China está desenvolvendo um sistema de criptomoeda que deverá substituir a atual moeda em espécie, principalmente devido à ineficiência do atual sistema de pagamentos internacionais.

    A China está avançando com testes de implementação da versão digital da moeda nacional, o yuan.

    Anteriormente, o Ministério do Comércio do país asiático informou que os testes seriam estendidos a todas as principais áreas metropolitanas. O órgão publicou recentemente um documento, segundo o qual os testes do yuan digital podem ser estendidos a outras grandes cidades e regiões até o final de 2020: Pequim, Tianjin, o Delta do Rio Yangtze, bem como a região da Grande Baía, que inclui Guangzhou, Hong Kong e Macau.

    Coincidência ou não, depois que em 2019 o Facebook anunciou o desenvolvimento da criptomoeda Libra, as autoridades chinesas começaram a falar mais publicamente sobre o yuan digital, revelando mais detalhes sobre um programa que começou em 2014.

    Planeja-se que o sistema funcionará em blockchain. A emissão será primeiro do Banco Central aos bancos comerciais, e depois será destes à população. Presume-se que o yuan digital substituirá o dinheiro em espécie. Algumas capturas de tela do aplicativo de teste permitiram concluir que serão semelhantes aos sistemas de pagamento móvel chineses Alipay e WeChatPay.

    Base da implementação

    No entanto, ainda é desconhecido quando a moeda digital será totalmente posta em circulação. No momento, o yuan digital está sendo testado em locais geográficos muito limitados, em Shenzhen, Suzhou, Hunan e Chengdu, e com aplicação reduzida, tais como algumas carteiras digitais de pagamentos a alguns funcionários e em alguns pontos de venda e cafés.

    Segundo Jia Jinjing, diretor assistente do Centro de Pesquisa Financeira Chungyang da Universidade Popular da China, disse à Sputnik China, a tecnologia requer os mais altos padrões de segurança financeira e cibernética, razão pela qual o yuan digital está sendo introduzido muito lentamente.

    "É essa a base para o funcionamento normal do yuan digital", adverte. "Agora é preciso fazer testes para ver se tudo está funcionando bem. Se tudo correr bem, a popularização do yuan digital acontecerá rapidamente. Se forem identificados problemas, será preciso primeiro eliminar todas as deficiências."

    As autoridades chinesas inicialmente disseram que o yuan digital era destinado principalmente ao mercado doméstico, para tornar as transações mais simples para as pessoas e apropriadas às realidades modernas.

    Entretanto, à luz do agravamento das relações entre a China e os EUA, Pequim está buscando cada vez mais encontrar uma alternativa ao sistema de pagamento internacional centrado no dólar, especialmente tendo em conta a lei de autonomia de Hong Kong promulgada pelos EUA, que impõe sanções a autoridades chinesas e às instituições financeiras que lhes prestam serviços.

    Utilidade do projeto

    O yuan digital poderia ser essa alternativa, apontou à Sputnik o professor Ju Jiandong da Universidade de Tsinghua, China. Na semana passada, ele publicou um artigo explicando como o yuan criptográfico poderia minar a hegemonia do dólar e se tornar a base de um novo sistema de pagamento transfronteiriço.

    Segundo o professor, tal sistema reduziria significativamente os custos transacionais e também anularia a capacidade dos EUA de influenciar de longe as atividades econômicas de outros países.

    O sistema atual de pagamentos internacionais, que foi formado no século passado, dificilmente atende às exigências do sistema atual, devido ao custo e tempo que leva a realizar, defende.

    Pelo contrário, o pagamento em criptomoeda leva segundos.

    "O yuan digital é um resultado inevitável do processo geral de digitalização. É pouco provável que isso esteja fortemente conectado com a situação externa. De acordo com o documento do Conselho de Estado sobre os princípios de mercado de colocação de fatores de produção, publicado neste ano, os ativos digitais, que também são incluídos nesses fatores, estão crescendo muito rapidamente", diz.

    "A taxa de crescimento pode ser medida em dezenas de por cento ao ano. Além disso, como resultado da epidemia, muito do trabalho e das transações das pessoas se deslocaram para o espaço online. Assim, os ativos digitais crescerão ainda mais rápido. O dinheiro tradicional não pode mais atender às exigências de hoje. Por isso, a introdução do dinheiro digital é inevitável", afirma o especialista.

    Não é por acaso que o desenvolvimento de sua própria moeda digital já foi anunciado pelos bancos centrais de muitos países, incluindo a Reserva Federal (banco central dos EUA), que até recentemente afirmava ser contra qualquer projeto de criação de criptomoeda, incluindo a Libra, observando que estes produtos ameaçam a estabilidade do sistema financeiro global.

    É provável que, após algum tempo, o mundo inteiro converta todas suas moedas nacionais em versões digitais.

    Por enquanto, a China é o país mais avançado no desenvolvimento e implementação de uma moeda digital. Se a experiência tiver sucesso, é provável que o yuan digital se torne um lugar-comum para os chineses.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    China deveria ter medo das sanções financeiras norte-americanas?
    Macroestrategista: demanda por dólar como moeda de reserva mundial 'parece estar diminuindo'
    China planeja lançar yuan digital em 2021 para substituir dinheiro em espécie
    Tags:
    Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos, Universidade de Tsinghua, Chengdu, Hunan, Suzhou, Shenzhen, Facebook, Macau, Hong Kong, Guangzhou, rio Yangtze, Tianjin, Pequim, Ministério do Comércio da China, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar