15:57 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    Brasil na luta contra COVID-19 no final de julho (61)
    3158
    Nos siga no

    Mais de 50 entidades do Brasil e do exterior apresentaram denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia, por suas escolhas durante a pandemia de coronavírus.

    A denúncia afirma que "há indícios de que Bolsonaro tenha cometido crime contra a humanidade durante sua gestão frente à pandemia, ao adotar ações negligentes e irresponsáveis, que contribuíram para as mais de 80 mil mortes pela doença no país".

    A Corte recebe mais de 800 denúncias por ano e decide sobre as denúncias após meses, de modo que a demanda apresentada pelos brasileiros pode não prosseguir, mas significa um desgaste internacional para a gestão bolsonarista, informa o UOL em reportagem sobre o episódio. 

    Ainda de acordo com a petição apresentada com a assinatura de uma coalizão que reúne representantes de mais de um milhão de trabalhadores da saúde no Brasil, o Ministério da Saúde "perdeu técnicos com décadas de experiência no SUS e nomeou militares para cargos estratégicos". O texto afirma que o ministro interino da Saúde, o General Eduardo Pazuello, "abandonou a defesa do distanciamento social mais rígido e passou a recomendar tratamentos para a covid-19 sem aval de entidades médicas e científicas, como o uso da cloroquina e hidroxicloroquina".

    Em entrevista à Sputnik Brasil, Célia Costa, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde (SindiSaúde-SP), destaca que o presidente da República escolheu ser "garoto-propaganda de um medicamento que pode ter levado muitas vidas", em referência à cloroquina.

    "Resolvemos fazer essa denúncia ao presidente Jair Bolsonaro pelas ações que ele tomou desde o começo da pandemia. A Organização Mundial da Saúde já vinha alertando desde dezembro [sobre a] pandemia e o presidente Jair Bolsonaro, infelizmente, tratou a pandemia como uma gripezinha e hoje nós temos o resultado de mais de 86 mil vidas perdidas", diz Costa. "Nós esperamos que o Tribunal trate essa questão como de fato ela deve ser tratada, como um genocídio."

    STF e futuro da denúncia

    Não é a primeira vez que a atuação do Governo Federal durante a pandemia global é associada a um genocídio. O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribubal Federal (STF), afirmou não ser "aceitável" a ocupação de cargos no Ministério da Saúde por militares durante a pandemia.

    "É preciso dizer isso de maneira muito clara: o Exército está se associando a esse genocídio, não é razoável", disse o magistrado em debate. 

    O pronunciamento de Mendes gerou críticas do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), que disse que o ministro deveria se desculpar. 

    Profissionais da saúde examinam um paciente com COVID-19 no Hospital de Campanha Lagoa-Barra, no Rio de Janeiro, Brasil, 2 de julho de 2020
    © REUTERS / Ricardo Moraes
    Profissionais da saúde examinam um paciente com COVID-19 no Rio de Janeiro, Brasil

    O mestre em Direito Penal Internacional Acácio Miranda diz que o Tribunal Penal Internacional tem competência para julgar quatro diferentes tipos de crimes: genocídio, crimes contra a humanidade, crimes de guerra e crimes de agressão.

    "O processo perante o Tribunal Penal Internacional tem duas etapas formais: uma etapa em que há uma investigação, e consequentemente é feito um juízo de admissibilidade, e, sendo admitida a denúncia, ela é submetida ao pleno, ao julgamento dos 18 juízes que compõem o Tribunal Penal Internacional. Contudo, antes destas duas etapas há um juízo prévio para a constatação se existem elementos mínimos para que seja iniciada uma investigação", diz Miranda à Sputnik Brasil.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Tema:
    Brasil na luta contra COVID-19 no final de julho (61)

    Mais:

    Moro diz ter saído do governo Bolsonaro por agenda anticorrupção
    Melhores fotos da semana em que Bolsonaro mostra banana para imprensa
    Bolsonaro ingressa com ação no STF contra suspensão de perfis de aliados
    Entidades de saúde denunciam Bolsonaro por crime contra humanidade em Tribunal Internacional
    Bolsonaro retoma agenda oficial no Planalto após dizer que testou negativo para COVID-19
    Tags:
    OMS, COVID-19, pandemia, Tribunal Penal Internacional, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar