23:12 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    1101
    Nos siga no

    Uma pesquisa divulgada na última quinta-feira (16) mostrou que 20% das importações de soja da União Europeia (UE) vindas do Brasil podem ter origem de terras ilegalmente desmatadas,

    O estudo, publicado na revista Science, destaca também que 17% das exportações brasileiras de carne bovina para a UE estão ligadas ao desmatamento.

    O professor de Relações Internacionais da ESPM/SP, Leonardo Trevisan, em entrevista à Sputnik Brasil, afirmou que este artigo "coloca lenha na fogueira" nas expectativas daqueles que apoiam o acordo entre o Mercosul e a União Europeia.

    "A contaminação da imagem dos produtos agrícolas brasileiros pela questão ambiental não atingirá apenas a questão da soja", disse ele.

    O especialista destacou que a expectativa brasileira de expansão do agronegócio "é muito real", tendo em vista que a porcentagem brasileira de soja obtida por hectar implantado é muito grande e a produção brasileira tem muita tecnologia e produtividade.

    Leonardo Trevisan faz a ressalva, entretanto, que o Brasil não pode ignorar a questão ambiental ao ter a garantia da demanda chinesa.

    "Se nós observarmos que apenas 20% das nossas exportações de soja tomam o rumo da União Europeia, e imaginarmos que estamos tranquilos, porque 64% dessa exportação toma o rumo da China, que teoricamente não estaria contaminada por essa questão ambiental, é um ledo engano", disse.

    De acordo com ele, a China usará as pressões internacionais quanto à questão ambiental para definir preços em relação ao Brasil.

    "O prejuízo maior na relação com a China será isso. Se nós perdermos a difusão de vendas, o nosso único comprador fixará o preço. Estas regras são inevitáveis", destacou.

    "A questão ambiental, portanto, quando todos os nossos empresários chamam a atenção para o cuidado com este fato, não é apenas porque um investidor externo irá olhar com mais cautela este investimento para um país que não cuida da questão ambiental, mas é porque isto incidirá diretamente no preço. Será um mau negócio", acrescentou o especialista.

    Ao comentar o artigo que destaca que importações de soja da União Europeia (UE) vindas do Brasil pode ter origem de terras ilegalmente desmatadas, o especialista comenta que "esta informação tem um peso comercial, é este o maior dano".

    "Não é por outra razão que a ministra da Agricultura, Teresa Cristina, afirma que o Brasil se comunica mal nesta questão agrícola. A comunicação não é apenas o fato de que nós nos escondemos do desmatamento, é o fato que nós não fazemos nada sobre o desmatamento", completa.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Brasil pode ser o maior produtor de soja do mundo na próxima década, diz OCDE
    China importa maior quantidade de soja brasileira dos últimos 2 anos
    Graças ao Brasil, China atinge recorde de importações de soja em junho
    Estudo: 20% da soja brasileira exportada para UE pode ter origem no desmatamento na era Bolsonaro
    Tags:
    União Europeia, desmatamento, exportação, agricultura, soja, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar