13:53 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    270
    Nos siga no

    O Brasil é um dos países mais complexos do mundo para se fazer negócios e o quadro piora ainda mais pela instabilidade política nacional, afirma economista ouvido pela Sputnik Brasil.

    De acordo com a pesquisa "Índice Global de Complexidade Corporativa", feita pelo TMF Group, o Brasil é o segundo país mais complexo, em uma lista de 77 nações, para se fazer negócios. O ranking é feito com base em informações de três áreas: regras, regulações e penalidades; contabilidade e impostos; contratação, demissão e pagamento de funcionários.

    Os cinco países mais complexos para os negócios são: Indonésia, Brasil, Argentina, Bolívia e Grécia. Já os cinco países com o melhor quadro para os negócios são: Curação, Estados Unidos, Jamaica, Dinamarca e Ilhas Virgens Britânicas. 

    "A complexidade no ambiente de negócios do Brasil é impulsionada principalmente por leis contábeis e fiscais. Existem dezenas de regimes fiscais diferentes e as empresas devem cumprir três níveis de regulamentação tributária: municipal, estadual e federal. Leis diferentes se aplicam às empresas internacionais e locais que buscam se estabelecer e comercializar no Brasil", afirma o TMF Group na pesquisa.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, o economista e diretor-geral do TMF Group, Rodrigo Zambon, acrescenta outros dados que dificultam a situação brasileira: "A primeira coisa que o investidor busca é estabilidade institucional e de regulação. E o Brasil vive neste momento uma certa volatilidade, principalmente na sua credibilidade institucional. Então isso é uma coisa que fica muito evidente aos olhos, é um parâmetro de decisão aos olhos do investidor."

    O economista afirma que o Brasil pode se beneficiar de uma "simplificação" de suas burocracias ao unificar itens que são tratados de maneiras diferentes por diferentes esferas, como a cobrança de impostos e as sobretaxas de determinados itens. 

    Com a pandemia de COVID-19, a economia global sofrerá uma contração de grandes proporções. O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que o PIB brasileiro deve recuar 9,1% em 2020. Caso essa projeção se confirme, será a pior recessão no Brasil dos últimos 120 anos.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    COVID-19: FMI prevê queda de 9,1% da economia brasileira em meio à pandemia
    FMI prevê queda de 4,9% da economia global em função da pandemia do novo coronavírus
    Nordeste sem festa junina é como Rio perder desfile das escolas de samba, compara economista
    Aumento do desmatamento pode gerar bloqueios de investimentos no Brasil, diz economista
    Previsões do FMI sobre PIB brasileiro são mais realistas do que as de Guedes, diz economista
    Tags:
    Brasil, pesquisa, burocracia, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar