12:49 09 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    Brasil enfrenta COVID-19 no início de junho (52)
    7139
    Nos siga no

    Os Estados Unidos doarão ao Brasil dois milhões de doses de hidroxicloroquina e 1.000 respiradores mecânicos, informou a Casa Branca.

    Defendida pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido), e dos Estados Unidos, Donald Trump, a cloroquina é uma droga usada para tratamento de malária e doenças autoimunes. Sua eficácia para combater o coronavírus, contudo, é um fato controverso. A Organização Mundial da Saúde (OMS) suspendeu testes com o medicamento após dados indicarem o aumento do número de mortes em pacientes. A França também abortou o uso da droga no tratamento contra COVID-19.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, o ex-presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) Sylvio Provenzano ressalta que a cloroquina não faz parte do protocolo de tratamento em casos da pandemia no hospital em que trabalha e que optou por não prescrever o medicamento. 

    Ainda assim, diz Provenzano, alguns colegas de profissão defendem a droga "com unhas e dentes". O ex-presidente do Cremerj ressalta a determinação do Conselho Federal de Medicina (CFM), que não recomenda o uso da cloroquina, mas libera que ela seja indicada a pacientes em alguns casos.

    Neste momento, nenhum tratamento de COVID-19 tem eficácia garantida, afirma o médico. "Nenhum tipo de tratamento [é] comprovado, seja feito com antiparasitário, Ivermectina, corticoide, nenhum tipo de tratamento até agora tem sua comprovação estabelecida pelos estudos que a OMS exige dos anti-maláricos. Então não temos um tratamento definido para essa doença que é uma novidade", afirma. 

    A malária "é uma doença conhecida pela humanidade há, no mínimo, quatro mil anos. Somente em 1920 conseguiu-se um tratamento com alguma eficácia. Veja, um tratamento 3.900 anos após a primeira descrição de malária", diz Provenzano. "Esperar que em seis meses a gente tenha tratamentos absolutamente seguros é de uma utopia que, para um médico, não faz sentido"

    O Ministério das Relações Exteriores informou que a doação dos Estados Unidos é uma "demonstração dessa solidariedade" entre os dois países na luta contra o coronavírus. Em nota, o Itamaraty também informou que a cloroquina já foi entregue e os respiradores mecânicos serão enviados "em breve".

    Ainda de acordo com a nota da chancelaria brasileira, os medicamentos doados fazem parte de "um esforço de pesquisa conjunto Brasil-Estados Unidos, que incluirá testes clínicos controlados randomizados" que ajudarão a entender a "segurança e a eficácia" da cloroquina. 

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Tema:
    Brasil enfrenta COVID-19 no início de junho (52)

    Mais:

    Presidente da Câmara: Bolsonaro 'desorganiza e gera insegurança'
    Rejeição ao governo Bolsonaro sobe de 39% para 44% em 15 dias, diz pesquisa
    Fala de Bolsonaro sobre armar a população é rejeitada por 72% dos brasileiros, diz pesquisa
    SP, RJ e MG têm manifestações contra Bolsonaro e a favor da democracia (VÍDEOS, FOTOS)
    Bolsonaro participa de manifestação a favor de seu governo e com pedidos antidemocráticos (FOTOS)
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Brasil, Donald Trump, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar