12:19 03 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    6542
    Nos siga no

    Para o delator de fraudes financeiras Nicholas Wilson, o centro financeiro de Londres é a "capital mundial da lavagem de dinheiro" e se ele parasse suas atividades "a economia global entraria em colapso".

    "Nada pode ser feito para limpar a City de Londres. Se algum político tentasse desmantelar o esquema da City de Londres a economia global entraria em colapso", disse.

    Segundo o delator, durante a crise financeira de 2008, "dinheiro do tráfico de drogas foi a única coisa que manteve os bancos funcionando".

    Wilson conta que o Reino Unido foi contra o projeto de lei proposto na União Europeia para regular as transações financeiras:

    "A União Europeia queria endurecer as regras sobre lavagem de dinheiro e o Reino Unido foi o único país que votou contra", contou.

    Wilson foi demitido após denunciar uma fraude milionária no Banco HFC, subsidiário do HSBC, que impunha ilegalmente uma taxa de 16% em consumidores com dificuldades para pagar seus créditos e hipotecas.

    Sede do HSBC em Londres
    © AFP 2020 / BEN STANSALL
    Sede do HSBC em Londres

    Em 2017, Wilson ganhou a batalha judicial contra o banco HSBC, que foi obrigado a pagar cerca de R$ 21 milhões aos clientes prejudicados.

    Em 2019, mais 18 mil vítimas da fraude foram identificadas, forçando o HSBC a pagar mais R$ 162 milhões em compensações. Segundo as estimativas de Wilson, o banco deve arcar com cerca de R$ 1 bilhão em pagamentos decorrentes da fraude.

    Reino Unido seria 'país mais corrupto do mundo'

    O jornalista italiano, Roberto Saviano, que passou boa parte de sua carreira investigando a máfia, acredita que o Reino Unido é o país “mais corrupto do mundo”.

    "Se eu perguntasse para você qual é o país mais corrupto do planeta, você iria me responder que é o Afeganistão, talvez a Grécia, Nigéria, o sul da Itália, mas eu te digo que é o Reino Unido. Não é a burocracia, não é a polícia, não é a política: o que é corrupto é o capital financeiro", afirmou Saviano.

    O jornalista disse que 90 por cento dos donos de capital em Londres têm contas offshore, sugerindo que teriam interesse em esconder a origem dos recursos que mantêm.

    Nicholas Wilson disse concordar com a afirmação de Saviano, dizendo que a City de Londres é a "capital mundial de lavagem de dinheiro".

    Em 2016, o Comitê do Interior do Reino Unido alegou que cerca de R$ 544 bilhões são lavados a cada ano no mercado imobiliário londrino.

    Navios cruzando o rio Tâmisa em Londres
    © AP Photo / Andrew Whitton
    Navios cruzando o rio Tâmisa em Londres

    Para Wilson, o banco com a pior reputação é o HSBC, que estaria implicado em 18 dos 25 escândalos de corrupção listados pela organização Transparência Internacional em junho de 2019.

    Para o delator, a classe política e financeira britânica são bastante interligadas. Inclusive muitos membros alternariam cargos políticos com altos postos em instituições financeiras.

    Procurada pela redação da Sputnik Internacional, a Corporação da City de Londres não quis comentar as declarações de Wilson.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Ladrão assalta banco nos EUA e joga dinheiro na rua gritando 'Feliz Natal'
    Bolsonaro 'diminuiu importância' de Moro e de combate à corrupção, diz cientista político
    Banco alemão quer usar robôs para substituir 18 mil funcionários
    Tags:
    brexit, corrupção, mercado financeiro, Londres
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar