03:07 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Pessoas observam ofertas de emprego na rua Barão de Itapetininga no centro de São Paulo.

    Alta do dólar poderá ter efeito 'muito grave' na alimentação do brasileiro, diz economista

    © Folhapress / Danilo Verpa
    Análise
    URL curta
    7191
    Nos siga no

    Com a disparada do preço do dólar, as famílias brasileiras perderão poder de compra e podem ter sua dieta afetada. A avaliação é de Fábio Sobral, economista e professor da Universidade Federal do Ceará (UFC).

    Nas últimas semanas, o preço da moeda dos Estados Unidos bateu seguidamente o seu recorde de cotação nominal na comparação com o real. 

    Uma das consequências mais imediatas da situação é o aumento do preço da carne bovina, que ficou mais barata para compradores do exterior e mais cara para o brasileiro.

    Contudo, Sobral ressalta que os impactos serão muito mais amplos e prevê mudanças nos preços de itens diversos como remédios, combustíveis, fertilizantes, agrotóxicos, aparelhos eletrônicos, viagens ao exterior e serviços de assinatura pela Internet.

    "Os produtos exportados pelo Brasil, como temos observados ultimamente com a carne, acabarão sendo vendidos ao exterior e provocarão elevação dos preços internos", diz o professor da UFC à Sputnik Brasil. "Mesmo a agropecuária depende cada vez mais de produtos e patentes importadas, então os preços internos no Brasil subirão"

    Esse quadro, junto com o alto índice de desemprego, poderá aumentar os preços da cesta básica e gerar um resultado "muito grave" na alimentação do brasileiro, avalia o economista.

    "As exportações aumentam e os preços da carne sobem, mas não ficam restritos à carne, os chamados bens substitutos da carne, como carne de frango, peixe, ovos e carne de porco terão também uma elevação. É uma situação muito complicada", afirma o professor da UFC.

    A alta do dólar, diz Sobral, afeta o "conjunto da economia" e pode causar a perda de poder de compra das famílias, de modo que embora os vencimentos das pessoas não seja cortado, ele terá o poder de comprar menos coisas. 

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Crescimento de 0,6% no PIB faz Bolsonaro cravar: 'estamos no caminho certo'
    'Vão ter que mudar', diz ativista Greta Thunberg sobre Bolsonaro e Trump em retorno à Europa
    Ministros de Bolsonaro e Macri discutem tarifas aplicadas pelos EUA contra aço
    Bolsonaro rebate Trump, nega manipulação do câmbio e comenta 'amizade'
    Efeito Bolsonaro? Casamento gay tem alta recorde após eleição de 2018
    Tags:
    Estados Unidos, Donald Trump, Paulo Guedes, Jair Bolsonaro, Dólar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar