15:13 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Sede da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em Paris, França (arquivo)

    Por que Brasil faz tanta questão de entrar na OCDE?

    © AP Photo/ François Mori
    Análise
    URL curta
    5132
    Nos siga no

    Em meio a dúvidas sobre o real apoio dos EUA à entrada do Brasil na OCDE, há quem acredite que o país já esteja bem próximo da organização. Mas por que o governo brasileiro faz tanta questão de fazer parte desse grupo?

    Na última segunda-feira, o diretor da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico na América Latina, o mexicano Roberto Martínez-Yllescas, afirmou que o Brasil já é um parceiro-chave e já está perto da OCDE, onde participa de comitês de trabalho mesmo sem ser membro.

    A entrada nesse seleto grupo econômico, composto em sua maioria por países desenvolvidos, tem sido uma meta de grande importância para a administração do presidente Jair Bolsonaro, que chegou a fazer generosas concessões aos Estados Unidos em troca do apoio de Washington para esse fim. Mas por que isso é tão importante para o governo brasileiro? 

    ​De acordo com o economista Rafael Cagnin, membro do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI), a insistência de Bolsonaro e sua equipe com a OCDE parece ser muito mais uma questão de estratégia política do que outra coisa, uma vez que o Brasil já participa de diversas mesas, já incorporou certos direcionamentos da organização e "não está completamente fora de um padrão OCDE de política, de programas, de linhas".

    Em entrevista à Sputnik Brasil, o especialista descreve essa postura como um indicativo político de mudança, de estratégia diplomática, de inserção internacional pelo lado do governo, o que, nesse sentido, seria um ponto bastante importante. No entanto, para ele, não é só o governo brasileiro quem ganha com isso. 

    ​"Para o lado da OCDE, também não é tão ruim assim. Não é porque, afinal de contas, grandes economias, grandes mercados, hoje, estão fora da OCDE, principalmente os grandes países emergentes. Então, a entrada do Brasil também é um aspecto que fortalece a própria OCDE", afirma Cagnin.

    Além de Brasília e da própria organização, o economista argumenta que há também um grande interesse do setor privado em ver essa parceria dar certo, pois isso representaria uma garantia institucional de que o país "continuará seguindo uma determinada receita de políticas e de diretrizes de reformas".

    "Isso daí é um pouco mais de confiança ao investidor, principalmente ao investidor internacional, mas também ao investidor nacional, de que o Brasil continuará seguindo determinado receituário de políticas."

    Apesar dos elogios feitos ao Brasil e da sinalização de uma proximidade, o diretor da OCDE na América Latina também destacou algumas ressalvas. Durante participação na 9ª edição da ABES Software Conference, em São Paulo, Martínez-Yllescas sublinhou que o país ainda tem muito a avançar no chamado mundo digital, apesar de sua liderança regional em número de start-ups. 

    Questionado se esse avanço é o que falta para consolidar a candidatura do Brasil para fazer parte do grupo, Rafael Cagnin explica que, para os padrões da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, ainda há outras áreas nas quais o país precisa melhorar para atingir um nível digno de elogio. 

    "Os fluxos de financiamento, programas de financiamento, os fluxos de investimento, a infraestrutura também não são padrão OCDE. Então, veja: tem outras áreas que realmente precisaríamos avançar para que pudéssemos chegar nesse padrão aí, mas, enfim, isso faz parte do processo de aproximação. E o importante, no fundo, mais do que, eu acho, entrar ou não entrar na OCDE, é criar condições para que isso seja possível." 

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Após polêmica, Trump garante que EUA apoiam entrada do Brasil na OCDE
    Eduardo Bolsonaro quer criar 'dia da OCDE' no Brasil
    Com 'fora' dos EUA ao Brasil na OCDE, bolsonaristas se reúnem para elogiar presidente
    Tags:
    economia, Jair Bolsonaro, OCDE, América Latina, Washington, Brasília, EUA, Estados Unidos, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar