10:56 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Segundo o Ibama, garimpos ilegais representam uma ameaça à saúde pública devido à contaminação por mercúrio, principalmente em regiões como a Amazônia.

    Especialista: desmatamento na Amazônia pode prejudicar ratificação do acordo Mercosul-UE

    Fotos Públicas / secom Ibama
    Análise
    URL curta
    12151

    Para especialista, quando o governo nega o aumento do desmatamento, a imagem do Brasil no exterior fica prejudicada cada vez mais.

    O desmatamento no Brasil voltou a ser tema de discussão após a revista Economist publicar um editorial pedindo vigilância global para conter o que chama de ameaça do desmatamento descontrolado da Amazônia. Jornais e revistas com Times, Nature e The Guardian também dedicaram atenção ao tema em suas recentes edições.

    Nesta quinta-feira, Bolsonaro e o Ministro do Meio Ambiente Ricardo Sales participaram de uma coletiva de imprensa para questionar os dados divulgados sobre o desmatamento no país e o presidente disse que notícias veiculadas pela imprensa sobre o meio ambiente que, segundo ele, "não condizem com a verdade", prejudicam o trabalho do governo no exterior, especialmente ao fechar acordos internacionais.

    ​O governo tem credibilidade internacional sobre o tema ambiental para mudar a narrativa existente de crescimento do desmatamento? Como isso impacta a imagem do Brasil no exterior e possíveis acordos internacionais como o Mercosul-UE?

    Para Raul Valle, Diretor de Justiça Socioambiental do WWF-Brasil, a postura do governo está prejudicando a imagem mais do que as notícias.

    "O presidente está muito equivocado. O que prejudica a imagem do país no exterior são os eventos e não as notícias", disse Valle à agência Sputnik Brasil.

    Para o interlocutor da Sputnik Brasil, o discurso do presidente e de outras autoridades negando o desmatamento, "associado à desestruturação de órgãos ambientais" estimulou o aumento da prática.

    "O desmatamento na Amazônica está explodindo desde que ele tomou posse. Desde o final do ano passado, mas sobretudo esse ano", argumentou o ativista.

    Além de um problema de imagem, Valle classificou o problema do desmatamento como uma questão de impacto para todos os brasileiros, em função da importância do bioma, que "não é reconhecida" pelo presidente e pelo atual governo.

    "A imagem do Brasil no mundo hoje está muito ruim", argumentou.

    Para o Diretor de Justiça Socioambiental do WWF-Brasil, quando o governo nega dados de instituições que monitoram o desmatamento há décadas, a imagem do país se desgasta ainda mais. Assim, um trabalho de anos para a assinatura de um acordo comercial entre Mercosul e a Europa pode acabar sendo prejudicado por questões climáticas.

    "Vai ter problemas para a ratificação do acordo UE-Mercosul" pelos parlamentos europeus, explicou o ativista.

    "Os partidos verdes vem ganhando espaço na Europa, em função da crise climática e provavelmente esses países não vão querer fechar acordo com um país que vem destruíndo seu patrimônio ambiental", concluiu.

    Mais:

    Governo Bolsonaro diz que dados sobre desmatamento não deveriam ter sido divulgados
    Fala de Bolsonaro sobre desmatamento é um 'absurdo', diz pesquisador do INPE
    Bolsonaro quer embargar dados oficiais sobre desmatamento na Amazônia
    Tags:
    meio ambiente, União Europeia, Mercosul, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar