03:31 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Forças Armadas do Irã no desfile militar do 37º aniversário da invasão do Iraque ao Irã em 1980

    'Situação está chegando à incandescência', diz analista comentando derrubada do drone americano

    © AP Photo/ Ebrahim Noroozi
    Análise
    URL curta
    17166
    Nos siga no

    Os Estados Unidos têm como objetivo instigar o Irã a ações que possam ser aproveitadas como pretexto para um conflito militar, considera o cientista político.

    Recentemente, foi noticiado que o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês) derrubou um drone norte-americano RQ-4 Global Hawk que teria invadido o espaço aéreo do Irã, perto do estreito de Ormuz. Contudo, os EUA desmentiram que a sua aeronave tivesse feito isso.

    O cientista político Maksim Zharov opina, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, que os EUA tentam provocar o Irã para empreender ações que possam servir como pretexto para uma operação militar contra o país.

    "A situação está chegando à incandescência. E o fato que o IRGC derrubou esse drone, em minha opinião, prova as notícias que circulam na mídia árabe que, na realidade, os petroleiros no golfo de Omã foram atacados por um drone americano", disse ele.

    "Há mesmo fotos de certos mísseis que teriam atingido os petroleiros", acrescentou Maksim Zharov.

    De acordo com ele, caso o Irã revele algumas evidências claras, esse pode provar que os EUA começaram a instigar o Irã diretamente, nem nas palavras.

    "Como sabemos das declarações dos representantes do Pentágono, a guerra contra o Irã pode começar em caso de haver quaisquer baixas no exército norte-americano. Isto é, os americanos tentam provocar o Irã para empreender ações que sejam acompanhadas por baixas entre os americanos", disse o cientista político.

    A situação política em Israel também pode desempenhar um papel considerável, opina Maksim Zharov.

    "Atualmente, a política dos EUA no Oriente Médio está em impasse. Nós vemos que na Síria o plano americano para derrubar Bashar al-Assad, com ajuda de diferentes tipos de grupos terroristas, falhou de fato, a situação começou a se normalizar", disse ele.

    Entretanto, o cientista político revela que há os problemas com o Irã e uma séria crise política em Israel. Ele acha que o aumento da tensão em torno do Irã pode ser relacionado com as eleições parlamentares antecipadas em Israel, onde o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu não conseguiu formar uma coalizão parlamentar e o governo.

    "O aumento da tensão contra o Irã, um inimigo figadal de Israel, também é favorável para alguns políticos israelenses. Espero que um confronto militar não ocorra. Mas, infelizmente, os americanos se opõem decididamente ao atual regime político no Irã", concluiu Maksim Zharov.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    EUA irão interrogar amigo de Assange preso no Equador
    Autoridades do Irã desmantelam rede de ciberespionagem dos EUA
    Marinha dos EUA divulga novas FOTOS que 'culpam' Irã pelo ataque a petroleiros
    Tags:
    RQ-4 Global Hawk, drone, Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC), Israel, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar