17:46 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Soldado do Exército iraniano de serviço em um navio militar

    Parlamentar do Irã: bloquear estreito de Ormuz é uma das opções contra sanções dos EUA

    © AFP 2019 / ALI MOHAMMADI
    Análise
    URL curta
    0 202
    Nos siga no

    Atualmente as relações entre os EUA e o Irã atravessam um período de agravamento. O presidente dos EUA Donald Trump decidiu não prolongar as exceções às sanções contra o Irã, que recentemente receberam uma série de países, diz um comunicado da Casa Branca.

    Ali Golmoradi, membro da comissão de energia do parlamento do Irã, sublinhou em sua entrevista à Sputnik que a atividade dos EUA em relação do Irã tem uma orientação anti-humanitária. Ele acha que o país é capaz de superar a pressão que é exercida sobre ele.

    "Os passos que os EUA estão empreendendo em relação ao Irã nunca foram e não serão uma algo inesperado para as autoridades iranianas", declarou o parlamentar.

    Ali Golmoradi referiu que o Irã tem uma grande variedade de meios para resistir à pressão norte-americano. Ao mesmo tempo, o país vai ponderar detalhadamente as medidas antes de as aplicar.

    "Há muitas opções para resistir aos EUA, não estamos limitados a uma ou duas. Vamos analisar detalhadamente as vantagens e desvantagens antes de tomar uma decisão […] O bloqueio do estreito de Ormuz é só uma das opções de resposta à atividade dos EUA", conclui o parlamentar iraniano.

    O estreito de Ormuz é uma via navegável com importância mundial que se localiza entre o golfo Pérsico e o golfo de Omã. Cerca de um terço de todos os navios petroleiros passam por lá.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Irã ameaça fechar estreito de Ormuz responsável pelo trânsito de 20% do petróleo mundial
    EUA revogam isenções sobre sanções ao petróleo do Irã
    Exército do Irã não ameaça os seus vizinhos, mas sim os 'invasores', diz Rouhani
    Tags:
    Estreito de Ormuz, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar