09:44 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Líder oposicionista venezuelano Juan Guaidó, durante comício em San Mateo, Venezuela, em 22 de março de 2019

    'Algo dramático': EUA saberiam o que devem fazer para conseguir algo na Venezuela?

    © REUTERS / Carlos Jasso
    Análise
    URL curta
    0 213

    De acordo com relatório exclusivo do projeto Grayzone, 40 conselheiros militares e estrategistas de alto escalão se encontraram durante um evento no Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais em Washington, para discutir eventual intervenção militar norte-americana na Venezuela.

    O encontro teria ocorrido no dia 10 de abril, contando com as pessoas mais influentes por trás da política do presidente Donald Trump na Venezuela. Havia também autoridades das embaixadas do Brasil e da Colômbia, assim como representantes da oposição venezuelana.

    Durante entrevista à Sputnik Internacional, Francisco Dominguez, da Campanha de Solidariedade da Venezuela, afirmou acreditar que os EUA não pretendem encontrar uma saída alternativa a não ser a intervenção militar, já que os norte-americanos estão tentando de todas as maneiras fazer com que isso aconteça, inclusive através de um ataque sem precedentes ao sistema de eletricidade da Venezuela.

    Além disso, Francisco Dominguez ressalta que todas as tentativas dos EUA em desestabilizar a política venezuelana falharam e estão sendo desvantajosas para os próprios EUA, já que a Venezuela está se reorganizando no mercado global, e é por isso que os norte-americanos não veem outras opções a não ser a intervenção militar.

    Com relação aos envolvidos, o analista acredita que todos os envolvidos na reunião secreta participaram de ações anteriores para desestabilizar a nação bolivariana e que não há surpresa quanto aos nomes mencionados, entretanto, a maior surpresa é que os envolvidos sempre se dizem a favor da democracia e dos direitos humanos, como por exemplo, Michael Shifter, presidente do Diálogo Interamericano.

    O analista acredita que, depois do governo de Hugo Chávez, os EUA acreditavam ser capazes de retirar o governo venezuelano do poder, algo que os norte-americanos desejam desde 1999. É por isso que os norte-americanos lançaram imediatamente uma guerra econômica, porém, falharam todas as vezes que tentaram. E, mais uma vez, estão tentando através do líder da oposição venezuelana, considerado um novo tipo de presidente, estratégia que também não está funcionando.

    Os EUA também tentaram alcançar objetivo através de uma possível tentativa de ajuda humanitária pela fronteira, sendo mais um fracasso norte-americano, reforça o analista, acrescentando que norte-americanos ainda tentaram ataque cibernético e ataque ao sistema elétrico venezuelano, fracassando em todas essas tentativas. Francisco Dominguez acredita que os EUA perceberam que terão que fazer algo dramático para derrubar o governo da Venezuela. "E o tempo, neste sentido, está do lado de Nicolás Maduro."

    Mais:

    Pentágono estaria criando opções para conter 'influência' da Rússia e China na Venezuela
    Brasil e Venezuela dão início a negociações para reabertura da fronteira
    Chanceler colombiano reitera que Grupo de Lima rechaça intervenção militar na Venezuela
    Tags:
    ataques, opinião, intervenção militar, reunião, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar