16:36 25 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Manifestante da oposição agita bandeira venezuelana em frente aos escritórios administrativos da petroleira estatal venezuelana PDVSA, em Caracas, Venezuela, 9 de janeiro de 2003

    Regime de sanções de Washington contra Caracas é uma total hipocrisia, diz analista

    © AP Photo / Fernando Llano
    Análise
    URL curta
    9190

    Para o cientista político Yevgeny Ben, o regime de sanções dos EUA contra Venezuela é uma total hipocrisia, referindo-se às declarações do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que acusou uma petroleira russa de comprar petróleo venezuelano contornando as sanções americanas.

    "A empresa estatal russa Rosneft continua comprando petróleo bruto da [petrolífera estatal venezuelana] PDVSA […] violando as sanções dos EUA. O presidente da Rosneft, Igor Sechin, continua estendendo uma boia de salvação ao regime", disse o secretário de Estado a repórteres.

    Pompeo também acusou empresas russas de "comprarem reservas de ouro" da Venezuela.

    "As empresas russas continuam tentando ajudar o regime do [presidente da Venezuela, Nicolás] Maduro, transformando as reservas de ouro do país em dinheiro."

    No dia 11 de março, Washington aplicou sanções contra o banco russo Eurofinance Mosnarbank devido a transações com a petroleira PDVSA.

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o jornalista e especialista em ciências políticas Yevgeny Ben comentou a situação.

    "O cinismo americano ultrapassou todos os limites concebíveis. Note que Washington não esconde o fato de que está pressionando para haver um golpe de Estado na Venezuela. Os EUA tomaram uma série de decisões sobre a possibilidade de interferir na vida internacional, inclusive por meio da força", afirmou o jornalista.

    Para Ben, Washington tenta pressionar as companhias russas, indicando com quem elas devem negociar e como devem construir sua vida empresarial.

    "Nesta situação, o regime de sanções parece uma completa e aberta hipocrisia. Estranho seria se, nestas condições de duplicidade de critérios em tudo, ouvíssemos a opinião dos EUA. É necessário compreender que os regimes de sanções são um dos aspectos mais importantes da vida dos EUA nos últimos cinco anos. Isto é orgânico e natural para eles. Mas esta é uma doença deles, não a nossa. Isso é um problema deles", acrescenta.

    No dia 28 de janeiro, Washington aplicou sanções à petroleira venezuelana, que também é proprietária da holding americana Citgo Petroleum, obrigando as empresas norte-americanas a transferirem o pagamento do petróleo venezuelano para uma conta bloqueada da empresa, à qual as autoridades venezuelanas não têm acesso.

    O embaixador da Rússia na Venezuela, Vladimir Zayemsky, disse anteriormente que Moscou reagirá às tentativas de privar as empresas russas dos investimentos na Venezuela, afirmando que todos os projetos de investimento russos foram aprovados e cumprem a legislação venezuelana e as normas internacionais.

    Mais:

    Jogos de petróleo: por que PDVSA venezuelana troca Lisboa por Moscou?
    Maduro decide fechar escritório da petroleira PDVSA em Lisboa e transferi-lo para Moscou
    Relatos: nos últimos tempos PDVSA não abriu novas contas no Gazprombank russo
    2 pessoas morrem e 6 ficam feridas após explosão na petrolífera venezuelana PDVSA
    Tags:
    petroleiras, sanções, PDVSA, Rosneft, Mike Pompeo, Venezuela, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar