00:14 15 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Forças dos EUA patrulhando nos arredores da cidade síria de Manbij, província de Aleppo (foto de arquivo)

    Ao declarar vitória sobre Daesh, EUA tentam reescrever a história, diz cientista político

    © AP Photo / Arab 24 network
    Análise
    URL curta
    10142
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Donald Trump declarou hoje de manhã que os militares americanos "destruíram o Daesh" na Síria. Nessa conexão, o especialista russo lembrou como e graças a que país foi alcançada a vitória sobre os terroristas no país árabe.

    Segundo afirmou o mandatário estadunidense em seu Twitter, "após as vitórias históricas sobre o Daesh, chegou a hora de trazer os nossos grandes jovens para casa!", adicionando ao mesmo tempo que os militares dos EUA são "grandes heróis americanos" e "heróis de todo mundo".

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista russo em assuntos internacionais Vladimir Olenchenko comentou a declaração de Trump e afirmou que foram os esforços da Rússia que na verdade ajudaram a combater o terrorismo na Síria.

    "Nas declarações sobre a alegada vitória dos Estados Unidos sobre o Daesh vejo um paralelo com a mesma linha americana quando eles dizem que teria sido graças apenas a seus esforços que foi alcançada a vitória na Segunda Guerra Mundial. Assim [os EUA] começam mais uma vez a reescrever a história", declarou o especialista.

    Entretanto, o especialista lembrou que as "tropas americanas iniciaram operação contra o Daesh na Síria ainda em 2014, para além de terem a ajuda de seus aliados. No entanto, antes de a Rússia ter enviado suas tropas à Síria em 2015, a coalizão dos EUA não tinha tido quaisquer avanços significativos, enquanto o Daesh continuava ampliando a sua zona de controle".

    "Mas, quando a Rússia chegou [à Síria], isso deu início a vitórias sobre o Daesh e ao processo político de resolução [da crise] na Síria", sublinhou.

    Em conclusão, o cientista político indicou que "sem a participação da Rússia, até agora o Daesh não teria sido vencido nem na Síria, nem em qualquer outra área".

    Em 19 de dezembro, a secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, declarou que os EUA estão se preparando para retirar todas as suas forças da Síria.

    Destaca-se que as Forças Armadas norte-americanas serão retiradas do país no prazo de 60 a 100 dias.

    A coalizão de mais de 70 países liderada pelos EUA está conduzindo operações militares contra o Daesh na Síria e no Iraque. As operações da coalizão na Síria não são autorizadas nem pelo governo sírio, nem pelo Conselho de Segurança da ONU.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Mídia: veículos militares dos EUA abandonam Síria (VÍDEO)
    Escritório de Relações Exteriores do Reino Unido: 'Daesh permanecerá uma ameaça na Síria'
    Ex-ministro francês: Saída dos EUA da Síria é uma 'vitória para o povo sírio'
    Washington continuará a pressionar Assad mesmo após tropas dos EUA deixarem a Síria
    Tags:
    história, presença militar, vitória, coalizão internacional, Daesh, Rússia, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar