22:12 17 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Sistemas de defesa antimísseis S-400 da Rússia (foto do arquivo)

    Rússia 'está na vanguarda' em vendas globais de armamentos, diz especialista militar

    © Sputnik / Sergei Malgavko
    Análise
    URL curta
    641

    A Rússia ficou em segundo lugar no mundo em vendas de armamentos, segundo o Instituto Internacional de Pesquisa de Paz de Estocolmo (SIPRI). O especialista militar Sergei Khatylev comentou o ranking de vendas das maiores empresas no setor de defesa.

    Segundo o SIPRI, dez empresas russas, incluídas na lista dos cem maiores produtoras de armamentos de 2017, foram responsáveis por 9,5% das vendas globais, colocando a Rússia na segunda posição dos maiores exportadores.

    Desde 2011, as empresas russas aumentaram significativamente as vendas de armamentos, de acordo com o pesquisador sênior da entidade, Siemon Wezeman, que destacou que o crescimento ocorreu no âmbito do programa de modernização de armamentos da Rússia.

    Os EUA dominam a lista com 57% das vendas globais, enquanto que o Reino Unido passou agora para o terceiro lugar do ranking com 9% de participação desde 2002.

    O consórcio Almaz-Antei, que fabrica equipamentos para defesa antiaérea e antimísseis, entrou pela primeira vez para as dez maiores fabricantes de armamentos, passando do 13º lugar em 2016 para o décimo em 2017.

    O relatório também informou que, ao longo do último período, nove em cada dez empresas russas incluídas na classificação aumentaram as vendas. No total, as vendas totais das cem maiores fabricantes de armamentos e serviços militares no mundo aumentaram 2,5% em 2017 (em comparação com 2016), e 44% em relação a 2002, atingindo US$ 398,2 bilhões (R$ 1,6 trilhão).

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o ex-chefe do comando de mísseis antiaéreos das Forças Armadas da Rússia, Sergei Khatylev, comentou os dados.

    "Isso sugere que nossa indústria de defesa hoje está em boas condições e é capaz de produzir equipamentos e armas não apenas para a defesa do Estado, mas também são vendidas para cooperação técnico-militar. É importante entender quais armas são comparadas. Pode ser rifle, tanque, avião — o valor desses produtos é diferente", disse Khatylev.

    "Apesar das sanções, nós vendemos armamentos, e estamos na vanguarda. Não de trata de venda de tanques e metralhadoras 'defasados', trata-se de armamentos avançados sem análogos", continuou.

    A base de dados sobre a indústria militar foi criada no SIPRI em 1989, contendo informações financeiras, bem como dados sobre o uso em empresas mundiais relacionadas à produção militar.

    Mais:

    'S-400 é um negócio feito': ministro turco revela motivo da compra do sistema russo
    4ª divisão dos sistemas S-400 entra em serviço na fronteira entre Rússia e Ucrânia (VÍDEO)
    'Decisão certa': especialista comenta nova divisão de S-400 na Crimeia
    Rússia vai instalar nova divisão de mísseis antiaéreos S-400 na Crimeia até final de 2018
    Tags:
    fabricantes, armas defensivas, exportação de armas, ranking, Forças Armadas da Rússia, Sergei Khatylev, Reino Unido, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar