07:10 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Destróier norte-americano USS Carney (DDG 64) no mar Negro (imagem de arquivo)

    Especialista militar: forças russas não permitirão que EUA façam o que querem no mar Negro

    © Foto: U.S. Navy/Ryan U. Kledzik
    Análise
    URL curta
    10391

    Após o incidente com os navios ucranianos no estreito de Kerch, os EUA estão se preparando para enviar um navio de guerra ao mar Negro, relatou o canal CNN citando fontes. O especialista militar Igor Korotchenko sugeriu qual seria a real intenção americana.

    De acordo com a notícia, as Forças Armadas dos EUA enviaram um pedido ao Departamento de Estado para notificar a Turquia sobre os planos do lado americano.

    "Os Estados Unidos realizam suas atividades de acordo com os termos da Convenção de Montreux. No entanto, não comentaremos sobre a natureza da nossa correspondência diplomática com o governo da Turquia", respondeu à mídia o Departamento de Estado.

    Durante uma entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o analista Igor Korotchenko sugeriu qual é o propósito dos planos americanos.

    "Para os Estados Unidos, uma presença militar mais ou menos permanente no mar Negro [mesmo que seja em base rotativa, já que a Convenção de Montreux os proíbe de terem uma presença permanente], mostrando lá sua bandeira, é [uma questão] política", disse Korotchenko.

    Para o especialista russo, essas manifestações político-militares americanas servem apenas para "mostrar sua determinação em 'conter'" a Rússia.

    "Neste caso, é também o apoio à Ucrânia e à sua operação inglória no estreito de Kerch, que terminou em fracasso. A este respeito, nós devemos estar preparados para quaisquer provocações, quaisquer ações persistentes dos EUA. E devemos estar prontos para detê-los, para mostrar aos EUA o lugar deles. Nossos militares não permitirão que os americanos vejam o mar Negro como uma região onde podem agir como bem entendem", concluiu o especialista.

    Em 25 de novembro, três navios da Marinha ucraniana violaram a fronteira da Rússia, entrando em áreas temporariamente fechadas do mar territorial russo, quando seguiam do mar Negro para o estreito de Kerch. Devido às manobras ilegais, as embarcações foram detidas, junto com seus 24 marinheiros ucranianos, e estes foram processados.

    O presidente russo, Vladimir Putin chamou o incidente de provocação, além de considerá-lo como um pretexto para que a lei marcial fosse introduzida na Ucrânia, antes da eleição presidencial no país, em meio ao baixo índice de aprovação do presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko.

    Mais:

    Blefe à ucraniana: analista põe em dúvida 'eficácia' de mísseis disparados no mar Negro
    Detonada mina da II Guerra Mundial na costa turística do mar Negro (VÍDEO)
    EUA podem enviar navio de guerra ao mar Negro em meio às tensões do Estreito de Kerch
    Até que ponto são sérias ameaças de Washington a Moscou pelo incidente no mar Negro?
    Tags:
    águas territoriais, ações, navios de guerra, Convenção de Montreux, Forças Armadas da Rússia, Marinha da Ucrânia, Igor Korotchenko, estreito de Kerch, Rússia, mar Negro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik