12:09 19 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Navios da Noruega, Bélgica, Holanda e Estônia em destacamento da OTAN no Báltico

    OTAN pretende criar drones navais para responder à 'ameaça russa' no Atlântico

    © AP Photo / Gero Breloer
    Análise
    URL curta
    245
    Nos siga no

    Os EUA e seus aliados da OTAN estão intensificando a cooperação na área de desenvolvimento e uso de drones navais. Segundo opinam vários especialistas, tudo isso evidencia a seriedade com que a Aliança Atlântica encara a "ameaça" proveniente dos submarinos russos.

    Recentemente 13 países da OTAN ratificaram um acordo que prevê o desenvolvimento e o uso posterior de sistemas marítimos não tripulados, comunica a revista Defense News.

    Destaca-se que a intensificação da cooperação tem por objetivo combater as ameaças provenientes de minas marítimas e submarinos avançados.

    "O uso de sistemas não-tripulados pode se tornar um avanço revolucionário nas tecnologias navais", diz o comunicado divulgado após a reunião dos ministros da Defesa de 13 países da OTAN

    Nova base russa Trifólio Ártico
    © Foto / Ministério da Defesa da Rússia
    "Ao trabalhar em conjunto com o tradicional equipamento militar naval, os drones aumentarão nosso nível de informação e também nosso controle sobre os mares", destaca.

    Entretanto, a revista indica que o acordo de cooperação técnico-militar foi assinado pelos seguintes países: Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Grécia, Itália, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Espanha, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

    Nessa conexão, alguns especialistas supõem que o acordo é mais uma prova da seriedade com qual a OTAN trata a "ameaça" proveniente dos submarinos russos.

    "Os países-membros da OTAN estão preocupados com a ameaça crescente por parte dos submarinos russos e, portanto, estão investindo mais recursos para lidar com esse perigo", sublinhou Jorge Benítez, investigador sênior do Conselho Atlântico, adicionando que atualmente a Rússia está enviando para o Atlântico Norte submarinos cada vez mais avançados, ou seja, silenciosos, furtivos e difíceis de monitorar pelas marinhas dos países da OTAN.

    "Essa nova cooperação multinacional que prevê usar drones submarinos representa a última prova de que a OTAN encara a ameaça russa no Atlântico do Norte de modo muito mais sério do que nos últimos 25 anos".

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Saiba como submarino russo avariou e expulsou um submarino americano
    Novo submarino russo com propulsão diesel-elétrica foi lançado à água em São Petersburgo
    EUA lançam à água 2 novíssimos submarinos nucleares de ataque
    Submarinos russos são temidos pela Marinha dos EUA, diz oficial norte-americano
    'Estrela da Morte': conheça satélite chinês caçador de submarinos já aprovado para criação
    Tags:
    forças navais, cooperação multilateral, submarinos russos, drones, ameaça, Defense News, Marinha, OTAN, Atlântico Norte, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar