12:04 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Porta-aviões americano USS Harry S. Truman

    O que porta-aviões dos EUA poderá causar no Atlântico Norte? Oficiais da Noruega indicam

    CC BY 2.0 / Marinha dos EUA / Marinha dos EUA
    Análise
    URL curta
    938

    Em breve, um poderoso porta-aviões dos EUA participará de manobras perto da costa da Noruega. De acordo com especialistas noruegueses, os Estados Unidos pretendem ganhar posições no Atlântico, mas vale a pena não se esquecer da Rússia, que pode vir a agir caso o navio se aproxime dela.

    O porta-aviões nuclear estadunidense USS Harry S. Truman, capaz de transportar toda a Força Aérea norueguesa, está se dirigindo para a costa da Noruega. Espera-se que daqui a uma semana chegue lá com 6.000 soldados a bordo para participar dos grandiosos exercícios militares Trident Juncture, comunicam fontes das Forças Armadas da Noruega.

    Vale destacar que porta-aviões entram na lista dos armamentos mais poderosos do arsenal americano, sendo sua presença considerada sinal militar ameaçador em qualquer parte do oceano.

    Risco de agravar relações com a Rússia

    O cientista político Lars Haltbrekken, do Partido da Esquerda Socialista norueguês, acredita que convidar um grupo de ataque norte-americano, liderado pelo porta-aviões, para os treinamentos da OTAN seja um passo realmente imprudente, comunica a NRK.

    "Especialmente, isso tem a ver com as relações com a Rússia. E, em geral, permitir que um porta-aviões nuclear se aproxime da costa da Noruega antes do início das manobras é imprudente. Exigimos que o Ministério da Defesa [norueguês] se explique em que se orientou para tomar essa decisão", declarou o político.

    Assim, Haltbrekken supõe que a visita estadunidense agrave ainda mais as relações com a Rússia.

    Força estadunidense está de volta

    Ao mesmo tempo, fontes nas Forças Armadas do país afirmam abertamente que o objetivo principal da visita é demonstração da força.

    "A ideia é a seguinte: se mostrar. Os EUA e a Aliança Atlântica há muito não se mostram. Agora querem declarar que estão voltando", destacou um alto oficial militar norueguês, que preferiu manter anonimato.

    Vale destacar que a bordo do navio há dois reatores nucleares, sendo a embarcação normalmente escoltada por submarinos nucleares equipados com armas nucleares táticas.

    E as Forças Armadas norueguesas não excluem que a presença do porta-aviões americano possa vir a ser considerada provocação pela Rússia.

    Preparativos para possível resposta russa

    "Devemos estar prontos para uma resposta russa. É muito provável que enviem seus navios para farejar o que está acontecendo e, se conseguirem, provocar um pouco. É possível que voos russos se tornem mais frequentes, e será necessário dar resposta a eles", indicou uma fonte.

    Acesso permitido

    Para participação das manobras da OTAN, a composição das forças participantes foi anunciada há dois anos. O que não é o caso do porta-aviões norte-americano que será anunciado apenas uns dias antes de sua chegada à costa norueguesa.

    Nem o Ministério da Defesa nem a chancelaria da Noruega ainda não comentaram a situação.

    Mais:

    Novo porta-aviões da Marinha russa terá convés mais largo
    Oficiais militares britânicos 'ameaçam' Rússia com seu novo porta-aviões
    Hélice em funcionamento mata militar americano a bordo de porta-aviões
    Porta-aviões Harry S. Truman se junta à 6ª Frota da Marinha dos EUA
    Tags:
    manobras navais, força, provocação, navio, Porta-aviões Harry S. Truman, OTAN, Atlântico Norte, Noruega, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik