22:50 13 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Kiev

    Analista: Ucrânia arrisca ficar isolada internacionalmente

    © Sputnik / Yevgeny Kotenko
    Análise
    URL curta
    3131

    Na Ucrânia apontaram uma condição sob a qual a Rússia poderia ser "reduzida a pó"

    O ex-ministro da Economia da Ucrânia, Viktor Suslov, comentando as manobras Vostok 2018 em entrevista ao canal 112 Ukraina, declarou que a Rússia "pode ser reduzida a pó" se não possuir armas nucleares.

    Segundo ele, o objetivo dos exercícios militares da Rússia é impedir que outros países entrem em conflito militar com o país.

    "Se a Rússia não fosse uma potência nuclear, tudo teria se resolvido muito mais fácilmente: a OTAN a teria reduzido a pó há muito tempo. Por isso eles exibem seus músculos para mostrar que é improvável que isso aconteça, pelo menos hoje", disse Suslov.

    O cientista político Oleg Onopko, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, destacou que os políticos de Kiev deveriam parar com essas especulações, caso contrário, o país corre o risco de ficar isolado internacionalmente.

    "Essas declarações tornaram-se uma tradição para os políticos ucranianos […] É uma especulação prolongada que já começa a irritar. Ela preocupa não apenas os vizinhos da Ucrânia, que sentem uma ameaça por causa do conflito em Donbass e da política externa da Ucrânia, mas também os países que antes garantiam a segurança da Ucrânia, incluindo os EUA e a Grã-Bretanha, que se mostram insatisfeitos", comentou.

    Onopko acrescentou que as autoridades ucranianas insistem que a "renúncia às armas nucleares foi em erro".

    "Ao mesmo tempo, é evidente que a posse dessas armas por parte da Ucrânia ou a ausência dessas armas na Rússia seria uma catástrofe não apenas para a Europa, mas também para todo o mundo", instou o analista.

    Segundo ele, as especulações ucranianas em relação ao seu status nuclear podem aumentar a atitude cautelosa dos políticos estrangeiros em relação ao regime da Ucrânia.

    "Se elas [as especulações] não pararem, a Ucrânia poderá ficar isolada internacionalmente", concluiu Onopko.

    As manobras Vostok 2018 estão decorrendo entre 11 e 17 de setembro na região do Extremo Oriente da Rússia e nas águas adjacentes do Pacífico. Estes treinamentos militares são os maiores dos últimos 37 anos, envolvendo cerca de 300.000 militares, dezenas de milhares de veículos blindados, helicópteros, aviões e drones.

    Mais:

    Eis as razões que levam Ucrânia a participar da 'lavagem de armas' para terroristas sírios
    Chancelaria da Ucrânia defende revisão de relações com a Rússia
    Revista norte-americana exclui quaisquer chances da Ucrânia reaver Crimeia
    Tags:
    isolamento, armas nucleares, ameaça, OTAN, Kiev, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik