14:48 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Capitólio dos Estados Unidos em Washington

    Por que senadores norte-americanos aprovam leis 'fatais para EUA'?

    CC BY 2.0 / Jason Ippolito / US Capital
    Análise
    URL curta
    490

    O jornal The Hill alertou que as novas sanções antirrussas prejudicariam os EUA. O cientista político Andrei Manoilo, durante uma entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, expressou sua opinião sobre o motivo da adoção por senadores norte-americanos de leis restritivas que desfavoráveis para os próprios americanos.

    O pacote de sanções, preparado por um grupo de senadores americanos de acordo com o projeto de lei "Sobre a proteção das eleições de ameaças através do estabelecimento de restrições", se for introduzido, atingirá a economia dos EUA, segundo o analista Richard Sawaya do The Hill.

    As novas restrições antirrussas, "criarão barreiras" entre os norte-americanos e os europeus, vão desequilibrar os setores energético e financeiro e obrigar as empresas dos EUA a abandonar a Rússia, abrindo espaço para a concorrência chinesa e europeia.

    Segundo Sawaya, as empresas petrolíferas dos EUA "irão para o banco de reserva". As sanções afetarão até mesmo projetos tão importantes apoiados por Washington como a construção do gasoduto Trans-Adriático, que poderá ajudar a salvar a Europa da "dominação energética russa", já que uma empresa russa é sua acionista minoritária.

    As consequências serão sentidas em todos os setores: as empresas norte-americanas não poderão transportar cargas pelas ferrovias russas, a Boeing deixará de cooperar com as companhias aéreas russas e a companhia norte-americana de telecomunicações AT&T não poderá usar cabos telefônicos russos.

    As empresas dos EUA que realizam comércio na Rússia também não poderão usar os bancos russos devido à legislação norte-americana, afirma o colunista do The Hill.

    Durante a entrevista, o doutor em ciências políticas e professor da Universidade Estatal de Moscou, Andrei Manoilo, expressou a opinião de que os senadores não têm responsabilidade pessoal pela imposição de sanções, por isso eles aprovam tão facilmente leis de sanções desfavoráveis aos próprios EUA.

    "Os EUA estão a caminho de deteriorar as relações com a Rússia, apesar dos sinais que o presidente Donald Trump está constantemente enviando à administração russa. O Congresso é implacável, ele acredita que a política de sanções é uma ferramenta que tem grandes capacidades para esmagar economicamente a Rússia de todos os lados. E, a esse respeito, os EUA estão prontos para impor sanções, causando danos tanto para seus aliados e satélites europeus, como para eles mesmos", disse o especialista.

    "Senadores e congressistas não sentem responsabilidade pessoal, como sente Trump. Eles têm uma responsabilidade coletiva, portanto, ela é diluída. Reunidos em grupo, eles não têm medo de nada, e é por isso que eles aprovam tão facilmente leis para a continuação das sanções que são fatais para os EUA", continuou Manoilo.

    No entanto, ele acredita isso não pode continuar indefinidamente.

    "Inflamar eternamente o nível de relações com um país enorme, que possui grandes recursos, um dos exércitos mais poderosos do mundo e armas nucleares, é impossível em princípio. Cedo ou tarde, o agravamento dessas relações pode causar uma crise na qual os Estados Unidos, provocando o início desta crise, não ficarão em maioria, mas em minoria. Porque é claro que os aliados europeus dos americanos não estão prontos para aderir a este jogo arriscado."

    "Essas sanções continuarão, e novas serão introduzidas, até que os americanos sofram as consequências", concluiu o especialista.

    Na semana passada, um grupo de senadores norte-americanos apresentou ao Senado um projeto de lei com um conjunto de medidas antirrussas que afetam "setores-chave da economia russa, incluindo os setores financeiro, energético, de defesa, e também a indústria metalúrgica e de extração mineral".

    Mais:

    Moscou: novas sanções dos EUA contradizem atenuação de tensões em torno da Coreia do Norte
    Embaixada da Rússia critica novas sanções dos EUA por envenenamento dos Skripal
    EUA adotam sanções contra a Rússia por caso Skripal
    Turquia continuará comprando gás iraniano apesar das sanções dos EUA
    EUA querem provocar revolta da população do Irã com sanções, diz ex-oficial da CIA
    Tags:
    setor financeiro, setor energético, restrição, senadores, concorrência, lei, sanções, Donald Trump, Vladimir Putin, EUA, Washington, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik