23:45 15 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Armas usadas pelo crime organizado chegam pela Tríplice Fronteira, Norte do país e dos EUA

    Especialista: violência é grande obstáculo para desenvolvimento do Brasil

    Yasuyoshi Chiba/AFP
    Análise
    URL curta
    543

    O Fórum Brasileiro de Segurança Pública e os Institutos Igarapé e Sou da Paz lançaram nesta quinta-feira a Agenda “Segurança Pública É a Solução”, com 35 propostas concretas para conter a violência no Brasil.

    O documento está à disposição dos candidatos à Presidência da República nas eleições de outubro, e a questão da violência está entre as maiores preocupações dos brasileiros. Segundo as instituições autoras da Agenda, o Brasil conta 61 mil mortes violentas por ano, tem mais de 700 mil pessoas presas e contabiliza custos da criminalidade que passam de 4% da renda nacional.

    Sputnik Brasil conversou com o sociólogo David Marques, coordenador de Projetos do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Para ele o problema da violência pode ser superado se "a segurança pública no brasil arrumar a casa", segundo a Agenda.

    "É uma das principais discussões que precisamos fazer, inclusive em termos de desenvolvimento socio-econômico do país. A violência é um grande obstáculo para o desenvolvimento do Brasil em termos de perda de vidas humanas e de prejuízo à produtividade das pessoas e do nosso sistema econômico", disse o especialista.

    Segundo o sociólogo, os ONGs elaboraram seis vetores de atuação essenciais para a solução do problema. Será preciso criar um sistema eficiente para gerir a segurança pública no país, bem como combater o crime organizado nacional e internacional. Outras medidas recomendadas pelo grupo tratam do fortalescimento e da capacitação da polícia, e da retomada do controle dos presídios. Além disso, seria necessário investir em prevenção da violência ao trabalhar com populações vulneráveis, atualizar a política de drogas e aumentar o controle das armas.

    Esse último vator, segundo David Marques, é um dos principais.

    "A gente acredita que se o sistema conseguir retirar essas armas de circulação, vai contribuir com o conjunto das políticas de segurança. Quando falamos de homicídio, estamos falando de arma de fogo. 70% dos homicídios são cometidos com arma de fogo", disse o especialista.

    O interlocutor da Sputnik criticou o uso das Forças Armadas na segurança pública e afirmou que o governo deveria capacitar a polícia para realizar um trabalho cotidiano, de modo a se aproximar da população.

    O documento é público e está disponível na internet.

    "A partir do momento que a gente organizar o sistema, a segurança pública pode ser a solução para muitos dos problemas que vivemos", afirmou David Marques. "É fundamental que exista um debate qualificado e não populista sobre os temas da violência e segurança pública", concluiu.

    Mais:

    Alexandre de Moraes propõe coletar DNA dos cidadãos para combater crime
    Brasil acerta cooperação com os EUA para fórum de segurança para combate ao crime
    Marielle, 32 dias: É provável o envolvimento de milícias do Rio no crime, diz Jungmann
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik