04:55 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Caça F-15E Strike Eagle dos EUA na base aérea de Incirlik, Adana, Turquia

    Turquia pode fechar base Incirlik para soldados norte-americanos, opina especialista

    © flickr.com/ U.S. Department of Defense
    Análise
    URL curta
    4130

    Os EUA precisam se preparar em relação às ações de autoridades turcas que podem vir a fechar a base aérea de Incirlik para soldados americanos, bem como revisar a política americana na região, tendo em conta as tensões nas relações entre os dois países, acredita o analista sênior do Centro de Política Bipartidário em Washington, Nicholas Danforth.

    Ultimamente, as relações entre os EUA e a Turquia vêm deteriorando inclusive devido ao caso do pastor Andrew Brunson, detido pelas autoridades turcas em 2016. Na quarta-feira (1), o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos impôs sanções sobre dois ministros turcas, ao acusá-los de "sérias violações dos direitos humanos". 

    "No momento, o governo dos EUA deve continuar procurando tranquilamente uma resolução diplomática que faça com que Brunson possa regressar para casa sem causar danos aos valores ou interesses norte-americanos. Ao mesmo tempo, devem ser tomadas medidas para suavizar as consequências caso essas tentativas falhem", lê-se no comentário do analista. 

    De acordo com Danforth, os passos que os EUA devem dar incluem a preparação a um provável fechamento de bases norte-americanas na Turquia, como o aeródromo Incirlik. No momento, essa base está sendo utilizada pelos EUA para operações contra combatentes do grupo terrorista Daesh que agem na Síria e no Iraque.

    "Em um conceito mais abrangente, Washington deve começar a reanalisar sua política regional, do Iraque aos Balcãs, partindo do fato que o nível mínimo de colaboração turca já não pode ser considerado como deveria", acredita o analista.

    Danforth recordou que nos últimos anos as tensões nas relações entre Washington e Ancara têm sido relacionadas à recusa da Turquia em impor sanções contra o Irã e associadas com o apoio americano aos curdos sírios e iraquianos nas operações conjuntas contra o Daesh. Ancara considera que os curdos estão ligados ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão, proibido nos EUA.

    Além disso, um fator "irritante" para os EUA é a compra pela Turquia dos sistemas russos de defesa antiaérea S-400 apesar das objeções de Washington, bem como a reaproximação entre Ancara e Moscou.

    O analista destacou que a crise nas relações entre a Turquia e os EUA veio à tona em meio aos problemas na economia turca e o colapso de sua moeda nacional.

    "As relações turco-americanas, bem como a economia turca estão à beira de uma crise dramática, enquanto o governo turco ameaça com respostas provocativas às sanções, a taxa de câmbio da moeda turca está diminuindo", assinalou Danforth.

    O Banco Central da Turquia aumentou drasticamente a previsão de inflação no período de 2018 a 2019 em meio ao aumento dos preços dos produtos alimentícios e petrolíferos, bem como devido à desvalorização da taxa de câmbio da moeda nacional, segundo o relatório de inflação de julho. 

    De acordo com a previsão do aumento dos preços para 2018, este número corresponde agora a 13,4% contra 8,4% sugeridos anteriormente, já que para 2019 este indicador é de 9,3% contra os anteriores 6,5%.

    Desde o início de 2018, a moeda turca perdeu cerca de 22% de seu valor em relação ao dólar devido às preocupações de investidores quanto à influência do presidente reeleito, Recep Tayyip Erdogan, sobre a política monetária do país e apelos do líder turco para que as taxas de juro fossem reduzidas. 

    Mais:

    Assistente de Pompeo diz que venda do S-400 para Turquia seria 'catástrofe' para os EUA
    EUA estariam tentando vender seus Patriot à Turquia para impedir compra de S-400 russos?
    Por que Rússia e Turquia se livram dos títulos do Tesouro dos EUA e optam pelo ouro?
    Tags:
    relações bilaterais, tensões, base aérea, EUA, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik