07:00 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados da OTAN no tanque alemão Leopard 2 participam dos exercícios da Aliança, Lituânia

    'Tentando superar atraso': especialista sobre 'renascimento' do tanque alemão Leopard 2

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Análise
    URL curta
    127

    O jornal alemão Die Welt divulgou informações sobre o "renascimento" do tanque Leopard 2 na sua última modificação А7V, que deverá conter a Rússia. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista comentou a situação.

    De acordo com a edição, os novos veículos de combate alemães têm o mesmo nome do tanque "monstro alemão" A7V, que participou da 1ª Guerra Mundial e se tornou o primeiro tanque alemão de produção em série.

    Die Welt frisou que nos primeiros anos da Segunda Guerra Mundial, Hitler avançou rapidamente graças aos tanques.

    "Os Tigers e Panthers eram considerados os armamentos mais poderosos da Wehrmacht", escreveu o jornal.

    Atualmente, considerando as tensas relações entre a OTAN e Moscou, os tanques recuperam sua popularidade. Segundo a edição, os tanques alemães se encontram no Báltico para conter a Rússia.

    Anteriormente, outra revista alemã, Focus, informou que mais de metade dos tanques Leopard 2 da Bundeswehr alemã não estava pronta para operar. Segundo a matéria, Bundeswehr possui 244 tanques deste tipo, mas apenas 95 deles estão em prontidão total de combate.

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o analista militar Boris Rozhin indicou que, no que se refere à construção de tanques, a Alemanha se atrasou bastante.

    "Depois dos combates no norte da Síria, onde o Leopard não se mostrou muito bem-sucedido [até na mídia alemã surgiram vários artigos que apontavam para problemas sérios com as modificações do Leopard do fim da década 90], se tornou evidente que era preciso não somente produzir a última versão destes tanques, mas também desenvolver urgentemente modificações mais eficazes", assinalou.

    "Isso compreenderá a modernização do motor, transição para o conceito de módulos e proteção contra os meios antitanque modernos e promissores. A Alemanha tenta não ficar para trás das tendências modernas no que se refere à construção de tanques. Porém, o tanque chinês de última geração e o Armata russo conseguem ultrapassá-lo. Nesta corrida, a Alemanha é um país que se está atrasando", opinou o analista.

    Quanto à anunciada função dos novos veículos – "conter a Rússia", o especialista acredita que se trate de uma ferramenta publicitária.

    "É mais parecido com um elemento publicitário, já que a Alemanha vem insistindo na criação de forças armadas europeias independentes dos EUA, e o país quer demonstrar que a Europa é capaz de agir sozinha em relação aos assuntos de defesa", afirmou.

    "Projetos de tal escala como a criação de novo equipamento militar que será adotado em serviço da Alemanha, e talvez dos países da OTAN, são uma forma de demonstrar que a Europa é responsável em assuntos de segurança e que ela mantém uma linha antirrussa (imposta pelos EUA, a propósito)", concluiu Boris Rozhin.

    Mais:

    Alemanha apoia resgate da Argentina junto ao FMI
    Netanyahu compara o Irã à Alemanha nazista durante as conversações com Putin
    Canal comunica que presidente ucraniano assinou rendição da Alemanha de 1945
    Tags:
    contenção, tanque, Leopard, OTAN, Rússia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik