02:49 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, acompanhado por diretor da CIA recém-nomeado, Mike Pompeo, na agência (foto de arquivo)

    Talvez tenha havido acordo: por que Trump escolheu Pompeo para negociar com Pyongyang?

    © AP Photo / Andrew Harnik
    Análise
    URL curta
    211

    O futuro secretário de Estado dos EUA e atual diretor da CIA, Mike Pompeo, encontrou-se com o líder norte-coreano Kim Jong-un durante uma visita secreta à Coreia do Norte no início de abril, informou hoje (18) a mídia estadunidense e depois Donald Trump confirmou. Analista comenta por que foi Pompeo que viajou ao país.

    Segundo a edição, que cita fontes, a viagem teve lugar "nas feiras de Páscoa", fazendo parte das preparações para negociações diretas entre Donald Trump e Kim Jong-un.

    O jornal sublinha que a viagem se tornou o primeiro "encontro a nível mais alto entre os dois países desde 2000", ou seja, desde as negociações entre o secretário de Estado Madeleine Albright e então líder norte-coreano Kim Jong-il.

    Posteriormente, o presidente Donald Trump confirmou as informações no Twitter, ressaltando que "o encontro foi muito bom e foram criadas boas relações".

    Especialista em assuntos internacionais russo, Vladimir Olenchenko, opinou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik por que foi escolhido Mike Pompeo e não Rex Tillerson para viajar à Coreia do Norte.

    Olenchenko recorda as recentes mudanças na administração de Trump, em particular a demissão de Tillerson e indicação de Pompeo, sublinhando haver certa contradição que Trump optou pela candidatura de Pompeo.

    "Naquele momento, enquanto ainda não se tratava das negociações [com Pyongyang], […] Trump insistia em resolver [o problema norte-coreano] com força, enquanto o ex-secretário de Estado Rex Tillerson insistia em negociar. Se seguir este rumo, seria mais lógico enviar para lá Tillerson […], mas ele foi demitido e em vez dele foi nomeado Pompeo", recordou o analista.

    Nomeação de Pompeo é mais um assunto que suscita dúvidas, pois, acrescenta Olenchenko, ele não tem fama de um bom negociador nem ajudou a resolver assuntos diplomáticos complicados dos EUA.
    Por outro lado, avança, Trump tende a tomar passos surpreendentes e duros, então é provável que tenha decidido testar sorte.

    "Talvez tenha sido oferecido um acordo a Pompeo: receber o posto de secretário de Estado após visitar a Coreia do Norte", concluiu Olenchenko.

    Estados Unidos e Coreia do Norte estão se preparando para o encontro entre os seus líderes. Anteriormente, Donald Trump informou que está considerando cinco lugares para se encontrar com Kim Jong-un. Segundo ele, o encontro poderá ter lugar no início de junho, "caso tudo corra bem", mas poderá também não ter lugar.

    Durante o encontro com o premiê japonês, Shinzo Abe, na terça-feira (17), Trump disse que os Estados Unidos lançaram "negociações diretas" com a Coreia do Norte, que se realizam a "níveis extremamente altos".

    Mais:

    Netanyahu coordenou ataque à base síria com Trump, diz mídia
    Ministros das Finanças do G7 pedem 'máxima pressão' sobre Coreia do Norte
    Tags:
    negociações, Kim Jong-un, Donald Trump, Mike Pompeo, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar