05:00 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Patrulha dos EUA nos arredores de Manbij, Síria

    'Desmembrar e manter sua presença': eis os planos dos EUA na Síria, segundo analista

    © AP Photo/ Sem credenciais
    Análise
    URL curta
    483

    Antes da declaração de Donald Trump sobre a retirada dos EUA da Síria, o Pentágono esteve elaborando um plano para enviar tropas adicionais para lá, segundo informou a mídia.

    A informação foi divulgada pelo canal CNN se referindo a alguns representantes do Pentágono e da Administração do presidente norte-americano. Conforme informações obtidas pelo canal, se tratava do envio de dezenas de militares estadunidenses para o norte da Síria. De acordo com as fontes, o assunto esteve sendo discutido durante dias antes da declaração de Trump sobre a retirada das tropas do país árabe.

    No fim de março, Donald Trump, discursando no estado de Ohio, disse mais uma vez que os EUA deixarão a Síria em breve "para que outros tomem conta". As declarações deste caráter não têm nenhuma novidade, já que Trump ainda durante a campana eleitoral fez anúncios semelhantes, mas as tropas estadunidenses ainda continuam na Síria.

    Como se pode explicar tais divergências entre o presidente e o Departamento de Defesa dos EUA? Para Vladimir Fitin, especialista do Instituto Russo de Pesquisas Estratégicas, tudo isso revela que dentro da Administração do presidente dos EUA reinam a bagunça e contradições.

    "As informações sobre preparativos dos EUA para reforçarem sua presença na Síria realmente contradizem as declarações de Trump feitas em Ohio. Todas essas divergências são mais uma prova da bagunça e contradições existentes dentro da Administração do presidente dos EUA. Foi difícil nos acostumarmos a isso, mas já nos acostumamos", frisou.

    No que diz respeito à presença americana na Síria, Fitin opinou para serviço russo da Rádio Sputnik sobre o que faz os EUA estarem tão interessados neste país árabe e quais são seus planos.

    "Quanto à presença militar dos EUA [na Síria] é difícil pressupor que os americanos decidam diminuí-la, ou mesmo deixar o país, pois seu objetivo estratégico é desmembrar este país, ou separar pelo menos sua parte nordeste, e manter sua presença em uma região criticamente importante do Oriente Médio", resumiu.

    Os EUA e seus aliados estão realizando uma operação antiterrorista na Síria e no Iraque, atuando na Síria sem permissão das autoridades oficiais do país.

    Mais:

    Milícia de Raqqa dispara contra base da coalizão dos EUA no norte da Síria
    Especialista: ações dos EUA na Síria são uma agressão armada
    Moscou: EUA estão tentando criar quase-estados na Síria
    Tags:
    presença militar, retirada, tropas, EUA, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik