07:11 28 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Rebelde sírio apoiado pela Turquia em um posto de controle na cidade síria de Azaz

    'Informação sobre entrada do exército sírio em Afrin não corresponde à realidade'

    © AFP 2018/ OZAN KOSE
    Análise
    URL curta
    327

    O comandante das Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas em Afrin disse que a informação sobre a entrada do exército sírio em Afrin não corresponde à realidade.

    Em 15 de fevereiro, surgiu informação na mídia de que entre Damasco e as YPG foi atingido o acordo sobre a entrada das tropas sírias em Afrin em breve a fim de proteger a região dos bombardeamentos das Forças Armadas da Turquia e das unidades do Exército Livre da Síria.

    O comandante das YPG em Afrin, Rojhat Roj, em entrevista à Sputnik Turquia, refutou esta informação, classificando-a como falsa.

    "A informação de que o exército governamental sírio planeja entrar em Afrin não corresponde à realidade. Não tivemos nenhuma negociação ou acordo com o governo sírio quanto ao assunto. Hoje em dia, para proteger Afrin, não recebemos nenhum tipo de apoio, nem mesmo de fornecimento de armas, de outras forças. O povo de Afrin já há 28 dias vem se defendendo com suas próprias forças. E vamos lutar até o fim", disse ele.

    Rojhat Roj se recusou a comentar a declaração do secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, que no decorrer do encontro de 15 de fevereiro em Bruxelas com seu homólogo turco, Nurettin Canikli, falou sobre a possibilidade de "separação das unidades YPG do Partido dos Trabalhadores do Curdistão" e uso dos primeiros na luta contra os segundos.

    Roj sublinhou que o comando das YPG em breve dará uma declaração por escrito em relação às palavras do secretário de Defesa dos EUA.

    Mais:

    Chancelaria russa: situação em Afrin síria é provocada, entre outras, pelas ações dos EUA
    Erdogan: Turquia quer devolver Manbij síria a seus 'verdadeiros donos'
    Turquia adverte sobre perigo para militares norte-americanos na Síria
    Tags:
    proteção, armas, exército, YPG, Nurettin Canikli, James Mattis, Turquia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik