19:14 20 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Sistema de lançamento de mísseis Tochka

    'Carregará a Rússia no botão caso o Ocidente ataque?'

    © Sputnik / Igor Zarembo
    Análise
    URL curta
    25726

    Após a crise ucraniana, os países ocidentais tomaram medidas drásticas contra a Rússia em todas as frentes. No entanto, os russos não ficaram paralisados nem sequer na esfera financeira, pelo contrário, pagaram a dívida externa apesar das sanções contra o país, opina Ernst Plener, autor de um artigo na revista austríaca Contra Magazin.

    O jornalista sublinha que a Rússia instalou na cidade de Kaliningrado mísseis Iskander-M capazes de carregar ogivas nucleares e convencionais. Os Iskander-M precisam apenas de dois minutos para voar até Varsóvia e de quatro até Berlim, escreve Plener, acrescentando que o Ocidente é incapaz de interceptá-los, porque estes mísseis voam na mesosfera, sendo impossível calcular sua trajetória.

    Então o autor se pergunta: "Caso o Ocidente ataque, os russos carregarão no botão? Lutarão os russos como patriotas por seu país ou se renderão de cabeça baixa?". Para o jornalista, o patriotismo russo é muito forte.

    "Enquanto o patriotismo nos países ocidentais é considerado como uma forma de fascismo radical populista, a Rússia demonstra que a fidelidade à Pátria não é de maneira nenhuma algo obsoleto", sublinha.

    "Aqueles no Ocidente que sonham com uma solução militar contra a Rússia, em outras palavras, uma guerra, devem saber que qualquer um que enfrente a Rússia está, de fato, se suicidando", ressaltou.

    O autor do artigo observa que Moscou e Washington continuam com ataques verbais mas já não estão se ameaçando militarmente.

    "Mesmo que não pareça, a situação entre a Rússia e os Estados Unidos está se suavizando", concluiu.

    Além disso, a Rússia reiterou várias vezes que suas armas são de caráter defensivo, não ameaçam ninguém, sendo seu objetivo defender seu território e seu povo.

    Mais:

    Que papel desempenha mídia ocidental no conflito sírio?
    Mídia alemã revela 'armas infernais' da Rússia
    Tags:
    tensão política, Europa, EUA, Ocidente, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik