10:14 23 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, dividem a tela

    Quem é vencedor da situação: Trump ou Kim Jong-un?

    © AP Photo/ Ahn Young-joon
    Opinião
    URL curta
    413

    Son Gi Woong, ex-diretor do Instituto Coreano para a Unificação Nacional (KINU, sigla em inglês), na entrevista à Sputnik disse que na oposição entre os dois líderes a médio e longo prazo, Trump sairá vencedor.

    "Contudo, os EUA desempenham um papel muito importante na superação das dificuldades econômicas [da Coreia do Norte] via cancelamento das sanções da ONU e de países individuais. E como a estratégia lunática de Trump deu alguns frutos na mudança da posição norte-coreana, podemos concluir que a médio e longo prazo, Trump será o vencedor da situação".

    Mas ele não descarta que hoje em dia, Trump tem uma imagem não muito positiva na comunidade internacional devido a medidas excessivas, o que cria a sensação de que a guerra começará neste momento. Tendo reparado nesta tendência, Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte, optou pela "ofensiva pacífica".

    O especialista sublinha que para Pyongyang, a questão de consertar as relações com os EUA é urgente, porque em seu discurso de Ano Novo, Kim Jong-un repetidamente falou sobre problemas econômicos. O governo norte-coreano está ciente que é difícil combinar o fim da criação de armas nucleares com o futuro desenvolvimento econômico.

    Segundo Son Gi Woong, ao melhorar as relações intercoreanas sob o pretexto dos Jogos Olímpicos em Pyeongchang e o 70º aniversário da criação de seu país, a Coreia do Norte está tentando de fato estreitar as relações com os EUA.

    "A partir deste ponto de vista, uma ofensiva pacífica não é tática, mas estratégia: se a tática de várias etapas suceder em relação à Coreia do Sul, no futuro, eles planejam passar a consertar as relações entre os EUA e Coreia do Norte."

    Quanto ao problema das famílias separadas, o analista disse que o encontro dos familiares até o Ano Novo (16 de fevereiro) é pouco provável por falta de tempo.

    Ao mesmo tempo, outro especialista Lee Yun-keol, diretor do Centro de Informação Estratégica da Coréia do Norte (NKSIS, em inglês) considera que Kim Jong-un não está interessado nestes encontros por ser menos propenso a sentimentos nacionais, em comparação com seus antecessores.

    Mais:

    Ciberataque poderia ativar botão nuclear
    'Provavelmente, tenho boas relações com Kim Jong-un'
    Coreia do Norte teme uma guerra com os Estados Unidos, diz analista russo
    Tags:
    concorrência, Jogos Olímpicos, conflito, tensões, relações bilaterais, Kim Jong-un, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik