03:09 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares norte-coreanos na Praça de Kim Il-sung em Pyongyang, Coreia do Norte (foto de arquivo)

    Por que possível guerra com Pyongyang é comparável à série Game of Thrones?

    © AP Photo/ Jon Chol Jin
    Análise
    URL curta
    371
    Nos siga no

    Em caso de conflito militar na península coreana, os acontecimentos poderiam lembrar os da série Game of Thrones, declarou o comandante dos fuzileiros navais dos EUA, general Robert Neller, que foi citado pelo portal Military.

    Ele advertiu que caso a guerra aconteça "muitas pessoas" podem vir a sofrer. 

    O general norte-americano pediu para que seus subordinados sempre estejam prontos moralmente e fisicamente para qualquer cenário, porque o conflito na península coreana não será parecido com as ações militares contemporâneas que têm lugar em geral em terreno deserto.

    Basicamente, Neller notou que os EUA terão vantagem em caso de conflito com a Coreia do Norte, mesmo apesar de grandes dificuldades. "Possuímos certas capacidades que não possuem os norte-coreanos", acrescentou ele.

    Também, segundo o general norte-americano, o conflito armado na península da Coreia, caso aconteça, será "épico".

    O cientista político e especialista em estudos norte-americanos, Konstantin Blokhin, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, está de acordo com o general norte-americano em alguns aspectos:

    "Esta guerra na verdade não será parecida com a no Iraque, nem na Síria. A região Ásia-Pacífico distingue-se pela alta concentração da população. Se o conflito com a Coreia do Norte acontecer, muito provavelmente serão usadas armas de destruição em massa, ou seja, a Coreia do Norte não será o único país a sofrer as consequências. Seriam atingidos a Coreia do Sul, Japão, China e até mesmo, parcialmente, a Rússia e os Estados Unidos", opina Konstantin Blokhin.

    Ele não exclui que os EUA venham a transformar o conflito na península coreana em guerra.

    "Os EUA estão perdendo a sua influência no mundo, bem como sua hegemonia, e isso está acontecendo a ritmos catastróficos para os norte-americanos, e para assustar o resto do mundo tentando defender sua hegemonia com se ainda tivessem 'pólvora no polvorinho', eles fazem tais declarações e de fato podem começar este conflito."

    Se as Coreias se reunificarem, na região vai aparecer uma potência forte que contará com as tecnologias do Sul e potência militar do Norte.

    Além do mais, cabe a um país unificado decidir se precisa ou não da presença norte-americana na região, o que não é nada vantajoso para os EUA. Por isso, conclui o especialista, os EUA parcialmente assustam, e às vezes usam o termo "paz com ajuda de força".

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Presidente da Coreia do Sul se diz pronto para encontro com Kim 'nas condições certas'
    Mísseis e bombas nucleares são destinados apenas aos EUA, diz negociador norte-coreano
    Pence: Washington está exercendo uma pressão sem precedentes contra a Coreia do Norte
    Tags:
    armas de destruição em massa, hegemonia, guerra, conflito armado, Robert Neller, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar