02:45 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin e Donald Trump falam durante cúpula da APEC, Danang, Vietnã, 11 de novembro de 2017

    Trump quer escândalo em torno de Jerusalém para concorrer com Putin, acredita analista

    © REUTERS / Jorge Silva
    Análise
    URL curta
    A aventura da capital de Israel (89)
    20195
    Nos siga no

    Por que Donald Trump proclamou Jerusalém como capital de Israel? O analista russo Pyotr Akopov não está satisfeito com as respostas que dão as mídias internacionais e apresenta sua versão em um artigo para portal analítico russo Vzglyad.

    Depois de terem bloqueado ou tentado bloquear no Congresso e nos tribunais quase todas as suas iniciativas, Trump recorreu a uma estratégia que costumava usar no mundo dos negócios: "jogar em grande estilo, blefar, pressionar o parceiro-rival", escreve Akopov apontando que em relação da Coreia do Norte o presidente norte-americano faz a mesma coisa levando a tensão ao máximo.

    A maioria da mídia acusa Trump de ser "ignorante" e "pouco racional". No entanto, para Akopov, a decisão do presidente dos EUA foi muito bem refletida e se explica pela simples necessidade de recuperar o "terreno perdido", contra o líder de outra potência mundial com grande influência na região: a Rússia.

    Os métodos de Trump podem parecer estranhos, mas é o estilo dele, assegura o analista: "Atrair a atenção do público, provocar escândalo."

    Com sua declaração sobre a capital de Israel, Donald Trump "faz explodir a situação e atrai para si a atenção de todos para tirá-la de Vladimir Putin, que conseguiu reforçar suas posições na região.

    No entanto, o analista explica que "não se trata de uma mera competição com o presidente da Rússia; é o desejo de recuperar para os EUA o papel de principal moderador na região".

    Akopov considera que, sem este escândalo, Washington não teria tido nenhuma chance para recuperar esse papel. A ocasião irá aparecer, mas dentro de algum tempo, quando se acalmar a indignação da comunidade muçulmana e Israel aceitar as negociações, prevê o especialista.

    As declarações de Trump conseguiram mais um feito, sublinha Akopov: o premiê israelense caiu no anzol e a partir deste momento para ele será muito mais difícil dizer "não" ao "grande defensor de Israel".

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Tema:
    A aventura da capital de Israel (89)

    Mais:

    Netanyahu pede que todos os países reconheçam Jerusalém como capital de Israel
    Político iraniano: Jerusalém nunca se tornará capital de Israel
    Reconhecendo Jerusalém como capital de Israel, Trump 'declara guerra' na região
    Tags:
    capital, Vladimir Putin, Donald Trump, Jerusalém, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar