07:53 21 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Caminhões operando na mina de ouro de Veladero, na província argentina de San Juan

    Como tecnologias russas podem levar mineração na América Latina a um novo nível?

    © REUTERS/ Marcos Brindicci
    Opinião
    URL curta
    61334120

    A tecnologia 4.0 permitiu diminuir o impacto ambiental da mineração, assim como reduzir os riscos a que os trabalhadores das jazidas estão expostos. A automatização e a robótica estão revolucionando este setor e a América Latina não deve se isolar disso, comentou à Sputnik Aleksandr Miaskov, diretor da Instituto de Mineração de Moscou.

    Em 2010, o mundo ficou chocado com a história dramática de 33 trabalhadores que ficaram presos em uma mina do Chile por 70 dias. Por milagre, os mineiros não ficaram feridos, mas a situação mostrou o perigo a que milhares de trabalhadores em condições semelhantes estão expostos.

    Hoje em dia, a automatização industrial e a robótica atingiram incríveis níveis de desenvolvimento e podem ser aplicadas inclusive no setor de mineração.

    Segundo Aleksandr Miaskov, diretor do Instituto de Mineração da Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia de Moscou, as discussões sobre a automatização decorrem há mais de 30 anos, mas a robotização significa que o trabalho é feito "apenas por robôs e máquinas".

    "Devemos discutir isso. Para a Rússia é uma atualidade, para os países latino-americanos é o futuro […] próximo, mas futuro", afirmou Miaskov à Sputnik Mundo em Santiago de Chile, durante o fórum Tecnologias Avançadas Russas na América Latina e no Caribe, que decorreu entre 9 e 10 de novembro.

    O acadêmico indicou que em sua universidade há mais de 20 anos que se realizam cursos especiais com inúmeros especialistas sobre automatização em setores como a agricultura, mineração ou telecomunicações.

    As minas australianas foram as primeiras a funcionar com veículos autônomos "que vão desde o fundo até à superfície das minas a céu aberto sem motoristas", disse Miaskov. A Rússia planeja iniciar o mesmo projeto. Além disso, nas minas subterrâneas russas serão usados drones para detectar metano ou diferentes gases e substâncias explosivas, o que permite salvar a vida das pessoas que trabalham em jazidas.

    "Estamos falando de máquinas que funcionam sem pessoas, porque o maior problema e o maior impulso à automatização da mineração no futuro é que ninguém trabalhe nas minas subterrâneas. Na Rússia esse conceito é chamado de ‘mina inteligente'", ressaltou o interlocutor.

    No entanto, apesar destas mudanças tecnológicas aumentarem a segurança dos mineiros, o especialista sublinha que é necessário pensar no outro lado da robotização — a perda de empregos — e na sua possível solução. A chave estará nas pessoas altamente qualificadas, que "continuarão movendo o mundo".

    A tecnologia também permitiu desenvolver a mineração "verde" ou "sustentável", que reduz os impactos ambientais desta atividade econômica.

    "Por exemplo, na Rússia […] as novas empresas estão preparando tudo com um impacto provavelmente 10 vezes menor na natureza do que 20 anos atrás", comentou.

    Aleksandr Miaskov afirmou que a Rússia está "muito aberta" a compartilhar sua experiência com os países latino-americanos, especialmente com os estudantes. Apesar das barreiras linguísticas dificultarem a compreensão, mostrou-se seguro que "talvez em três ou cinco anos" dispositivos robóticos permitam a tradução automática, resolvendo o problema, concluiu.

    Mais:

    Hitler na Colômbia?: 'Nazistas podiam se deslocar impunemente pela América Latina'
    Preço do petróleo já não 'governa' rublo russo e moedas da América Latina
    Tags:
    troca, tecnologias modernas, mineração, América Latina, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik