23:03 17 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Satélite no espaço (imagem referencial)

    Opinião: novo satélite russo tem tudo para monitorar atividade militar no exterior

    CC0 / Pixabay
    Opinião
    URL curta
    31411182

    Rússia poderá interceptar dados secretos do inimigo potencial por meio do novo satélite militar, Repei, informou a mídia. O analista militar russo Aleksei Leonkov avaliou o novo aparelho espacial em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    Segundo informou o jornal Izvestia, citando o Estado-Maior da Força Aeroespacial da Rússia, o primeiro satélite será lançado em 2018 para receber informação sobre atividades de tropas em qualquer ponto do mundo.

    O analista militar Aleksei Leonkov contou ao serviço russo da Rádio Sputnik sobre os novos satélites russos. O especialista notou que o Repei é um satélite destinado a inteligência radioeletrônica.

    Segundo Leonkov, o satélite foi mostrado pela primeira vez neste verão e tem duas versões — Repei-B e Repei-C, para órbitas de voo elípticas e geoestacionárias, respectivamente.

    "Como foi anunciado, estes satélites vão fornecer informações de interesse para o Ministério da Defesa [da Rússia]. Ou seja, são satélites militares", explicou o analista.

    O especialista sublinhou que os norte-americanos possuem análogos dos satélites russos, mas permanecem já há muito tempo sem modernização. Além disso, ressaltou, todos os novos desenvolvimentos russos superam os aparelhos já existentes dos EUA.

    "É que os satélites de inteligência radioeletrônica norte-americanos foram lançados há bastante tempo sem serem de fato modernizados e eles se focam sobretudo em satélites de comunicação", disse, especificando que o maior grupo de satélites dos EUA, mais de 60, assegura comunicações nos interesses do Pentágono.

    De acordo com Leonkov, os satélites russos funcionam a um nível mais elevado que seus análogos norte-americanos.

    "Atualmente, os satélites estão equipados com toda a base moderna para detectar objetivos e têm possibilidade de atualizá-la para que o satélite esteja sempre a par de tudo o que desenvolvem os 'adversários' no exterior", afirmou.

    Leonkov também detalhou que o Repei poderá mudar sua biblioteca de imagens e indícios de equipamentos militares e especiais utilizados pela OTAN ou pelo Pentágono, processando esta informação e transmitindo-a para terra.

    Mais:

    Preparando-se para 'guerra no espaço': até 2030 EUA receberão frota espacial
    Inteligência artificial a bordo: saiba o que pode fazer caça Su-35 russo sem piloto
    Tags:
    atividades militares, satélite militar, monitoramento, inteligência, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik