03:52 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Um técnico trabalhando em um caça Tornado alemão na base aérea de Incirlik, Turquia, em 21 de janeiro de 2017

    Por que Turquia continua comprando armas alemãs apesar da tensão nas relações?

    © AFP 2019 / TOBIAS SCHWARZ / POOL
    Análise
    URL curta
    410
    Nos siga no

    Apesar da crise nas relações turco-alemãs, o volume de comércio bilateral na área de defesa permanece ao mesmo nível. Especialistas turcos acreditam que não há uma correlação direta entre os dois fatores.

    De acordo com os dados do Ministério da Economia da Alemanha, nos primeiros quatro meses deste ano, o país vendeu à Turquia armas e munições no valor de 5,6 milhões de euros (R$ 20,9 milhões).

    Em entrevista à Sputnik Turquia, especialistas turcos afirmaram que não há uma correlação direta entre a tensão crescente nas relações entre os dois países e o volume de comércio militar. As remessas continuam, pois estão previstas em acordos militares de longo prazo entre as partes.

    "Sendo um membro da OTAN, a Turquia pode comprar estas armas no âmbito dos acordos de longo prazo firmados antes […] Não devemos pensar que as relações turco-alemãs ficaram totalmente paralisadas por causa dos atuais acontecimentos negativos", opinou Elnur Ismailov, especialista do Centro de Estudos Estratégicos de Sábios (BILGESAM).

    Outro interlocutor da Sputnik também partilha a opinião que a venda de armas se realiza conforme os acordos anteriores, acrescentando que a tensão atual entre os dois países não é do agrado dos turcos.

    "Agora, nas relações com a Alemanha, um dos nossos parceiros comerciais mais importantes com quem historicamente temos laços de amizade, pode-se ver uma tensão de que não gostamos nada. É uma tensão artificial, porque responde aos interesses da política interna daqueles que governam ambos os países", afirmou Aykut Erdogdu, vice-presidente do Partido Republicano do Povo (CHP, na sigla em turco), o principal partido oposicionista no país.

    O político ressaltou que os membros do CHP estão a favor de uma resolução da crise nas relações bilaterais e do restabelecimento da cooperação mutualmente vantajosa que contribua para o bem-estar dos dois países.

    As relações entre Ancara e Berlim ficaram ainda mais tensas este ano, após a Alemanha ter decidido proibir os comícios turcos de campanha pelo referendo em seu território, bem como a recusa de Ancara de deixar os legisladores de Berlim visitarem a base aérea de Incirlik, onde estão estacionadas tropas alemãs.

    Mais:

    Tensão: Turquia ergue 'muro de segurança' na fronteira com o Irã
    Sistemas S-400 e nova Rota da Seda: Turquia se vira cada vez mais para Rússia e China
    Tags:
    comércio de armas, relações bilaterais, crise, Turquia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar