16:59 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Soldados de Israel nas Colinas de Golã

    Israel destruirá zona de desescalada na Síria?

    © AFP 2017/ JALAA MAREY
    Opinião
    URL curta
    142349514

    Durante a cúpula do G20 em Hamburgo, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente dos EUA, Donald Trump, chegaram ao acordo quanto às condições do regime de cessar-fogo na zona de desescalada no sudoeste da Síria.

    É importante mencionar, que a zona fica ao longo da fronteira sírio-israelense no território das Colinas de Golã. O regime entrou em vigor no dia 9 de julho, mas Tel Aviv não permite categoricamente a presença ou passagem de militares iranianos em território sírio, perto das Colinas de Golã; com relação ao descontentamento, o ministro da Defesa israelense, Avigdor Lieberman, mais uma vez falou sobre isso recentemente.

    Israel seria capaz de destruir a zona de desescalada, apesar dos acordos fechados entre EUA e Rússia? O especialista russo em assuntos do Oriente Médio e do Irã, Vladimir Sazhin, comentou a situação para a Sputnik Persa.

    O primeiro aperto de mão entre os presidentes Trump e Putin
    © REUTERS. Steffen Kuggler/Governo Federal da Alemanha
    "Israel não pode ficar sem fazer algo. Tel Aviv categoricamente não permite nem mesmo uma possibilidade da presença ou passagem de militares iranianos ou de membros da Hezbollah perto da sua fronteira nas Colinas de Golã. As autoridades israelenses são contra a permanência de grande parte das forças iranianas da Síria, bem como de milícias controladas pelo Irã e dos destacamentos de Hezbollah", disse o especialista.

    Como resposta ao fogo do lado sírio, Israel realiza constantemente ataques aéreos contra grupos pró-iranianos, na região das Colinas de Golã e em território sírio mais distante. Nas últimas semanas, a aviação israelense reforçou sua atividade militar. A partir de 24 de junho até 2 de julho, os israelenses atacaram 5 vezes – todos os ataques aconteceram na região das Colinas de Golã, mais precisamente no lado sírio.

    Provavelmente, tal atividade alveja iniciar o processo da criação de uma zona de desescalada, julga Sazhin. Já em março deste ano, o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, pediu ao presidente russo, Putin, para apoiar a ideia de criação de "uma zona de desescalada" ao redor das Colinas de Golã, onde seria proibida a presença militar do Irã, bem como de grupos pró-iranianos.

    Não há dúvidas de que a criação da zona em questão vai diminuir a possibilidade do surgimento de um novo ponto crítico, onde pode acontecer um conflito entre as forças israelenses e iranianas ou pró-iranianas.

    Mais:

    Exército de Israel vai receber 'metralhadoras voadoras' TIKAD
    Irã vs. Israel: conflito armado à vista no estrangeiro?
    Israel acusa Soros de minar governos democraticamente eleitos
    Tags:
    cessar-fogo, reconciliação, Hezbollah, Vladimir Putin, Donald Trump, Irã, Rússia, EUA, Síria, Colinas de Golã, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik