23:19 22 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    1481
    Nos siga no

    A Rússia e os EUA chegaram ao acordo de cessar-fogo no sul da Síria a partir deste domingo. A informação foi divulgada pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, após o reunião dos presidentes russo e norte-americano, Vladimir Putin e Donald Trump, em Hamburgo.

    O professor de relações internacionais da Universidade de Damasco, Bassam Abu Abdalla, disse à Sputnik Árabe que a mudança de curso da administração norte-americana não é uma manobra política, nem um passo circunstancial em direção à Rússia. 

    "A nova estratégia americana na Síria reflete o reconhecimento da política anterior como desastrosa. Ficou claro que, sem a mudança de cursos, a situação somente vai piorar", disse o especialista. 

    "A política americana de apoio aos grupos terroristas com armas e dinheiro demonstrou a sua ineficiência. Além disso, a oposição síria no exterior, criada pelos americanos e que deveria servir de alternativa ao governo sírio, também não atendeu as expectativas", afirmou Abdalla. 

    Segundo o professor de relações internacionais, as derrotas dos terroristas em batalhas na Síria se tornaram fator determinante da alteração da estratégia ocidental na Síria. Isso foi possível somente graças à resistência do povo sírio e da alteração do equilíbrio das forças na arena internacional. "Observamos o crescimento da força política de Moscou e de Pequim", destacou o especialista sírio.

    Quanto à permanência de Bashar Assad no poder, essa questão seria "relacionada à soberania estatal, onde não deve haver interferência estrangeira", adicionou o Abdalla. 

    "As ações das partes do processo político na Síria foram possíveis graças aos esforços de Moscou. Podemos falar no papel predominante da Rússia, pois foi esse país que defendeu a criação de zonas de segurança. Além disso, os detalhes da iniciativa foram discutidos com o governo sírio, o que demonstra a confiança entre os dois países", concluiu o interlocutor da agência.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    EUA anunciam zona de exclusão aérea na Síria, mas esquecem de combinar com os russos
    EUA: Rússia tem uma responsabilidade especial no processo político na Síria
    Publicadas as primeiras imagens de suposta base dos EUA no norte da Síria
    Forças Democráticas da Síria: EUA estão reforçando presença militar no norte do país
    Tags:
    política internacional, Bassam Abu Abdalla, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar