08:44 21 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados indianos realizando partrulhamento na fronteira entre China e Índia, estado de Arunachal Pradesh

    Opinião: Índia se apoia nos EUA em sua oposição à China

    © AFP 2018/ BIJU BORO
    Opinião
    URL curta
    5159

    O conflito na fronteira entre a Índia e a China e a visita do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, aos EUA não é uma coincidência.

    Um dos fins da visita do premiê indiano aos EUA foi receber apoio na oposição no Sul da Ásia entre a China e a Índia. Os especialistas, entrevistados pela agência Sputnik China, pensam que o alargamento da cooperação militar entre a Índia e os EUA pode agravar as complicadas relações indiano-chinesas.

    Recentemente, a frágil acalmia que durou três anos foi perturbada por um conflito na fronteira entre a China e Índia porque, segundo o MRE chinês, militares indianos atravessaram ilegalmente a fronteira chinesa no dia 27 de junho.

    O especialista do Instituto do Oriente Médio, Sergei Kamenev, destacou que a visita do primeiro-ministro indiano Narendra Modi aos EUA não terá coincidido por acaso com este conflito na fronteira. O especialista considera que o político indiano veio aos EUA receber apoio moral para pressionar a China.

    "A Índia está fortemente preocupada com a saída da China para o oceano Índico. Os EUA concordaram em vender à Índia 22 grandes drones aeronavais. Este tema não foi abordado nas negociações por acaso <…> Estes drones são destinados a receber informações sobre a bacia do oceano Índico", disse o especialista.

    As forças das Marinhas dos EUA, da Índia e do Japão tencionam realizar uns dos maiores exercícios militares no oceano Índico. Donald Trump anunciou essa decisão durante as negociações com Narendra Modi na Casa Branca. Isto é um estimulo muito forte para a índia, bem como a decisão de comprar aviões militares de transporte C-17 norte-americanos.

    O especialista militar Vladislav Evseev compartilhou sua opinião sobre a cooperação militar entre a Índia e EUA.

    O especialista lembrou que a Índia não participou do Fórum Um Cinturão Uma Rota em Pequim, assim as tensões entre a China e a Índia só se agravaram.

    "A consequência deste agravamento é a realização das manobras com participação da Índia, EUA e Japão e a compra de armamentos americanos. Acho que o balanço das forças na região vai mudar radicalmente <…> Isto também provoca a China e a Rússia a buscarem uma cooperação mais estreita", disse o especialista, acrescentando que o fortalecimento das relações entre Índia e EUA vai provocar uma certa tensão no âmbito do BRICS e da Organização para Cooperação de Xangai.

    Mais:

    'Base da nova ordem mundial serão China, Índia, Rússia e EUA'
    Banco do BRICS aprova 2 projetos de larga escala na Índia e China
    China fica insatisfeita com visita de embaixador dos EUA à área disputada com a Índia
    Tags:
    tensão militar, C-17, Casa Branca, Marinha dos EUA, Narendra Modi, Donald Trump, EUA, Ásia, Oceano Índico, Índia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik