07:20 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Grace Maria Fernandes Mendonça toma posse no cargo de advogada-geral da União

    Opinião: ‘A advogada geral da União deveria se licenciar do PSDB’

    Lula Marques / AGPT
    Análise
    URL curta
    761

    O Tribunal Superior Eleitoral divulgou a informação de que a ministra-chefe da Advocacia Geral da União, Grace Mendonça, é filiada há 19 anos ao PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira. Consultada a respeito, Grace disse nem se lembrar desta filiação, mas imediatamente a notícia repercutiu pelo país.

    Sobre a questão e suas consequências, Sputnik Brasil ouviu o cientista político Ricardo Ismael, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). O Professor Ricardo Ismael comentou se o fato da filiação de Grace Mendonça ao PSDB poderia criar algum obstáculo à sua atuação no comando da AGU:

    “A princípio, não vejo qualquer impedimento para uma atuação segura e independente da Ministra Grace Mendonça à frente da Advocacia Geral da União. Veja o caso de um dos seus antecessores no Governo Dilma Rousseff, o ex-Ministro José Eduardo Cardozo. Ele é filiado ao Partido dos Trabalhadores, defendeu ativamente a presidente no processo de impeachment, e o fato de pertencer ao PT não inibiu sua atuação na AGU nem como ministro da Justiça, cargo que exerceu antes de ser remanejado para a Advocacia Geral da União. Mas entendo que, em nome da ética e para preservar a si própria, a atitude mais sensata por parte da Ministra Grace Mendonça seria se licenciar do PSDB e então exercer suas atribuições sem dar margem a qualquer tipo de especulação.”

    Para Ricardo Ismael, “Grace Mendonça exerce um cargo de grande importância, que vai lhe dar muita visibilidade, e a qualquer momento ela pode se ver na contingência de, pertencendo ao PSDB, o seu partido estar em posição contrária a alguma diretriz do Governo do Presidente Michel Temer.”

    Então, entende o cientista político, a atitude mais sensata por parte da ministra seria solicitar espontaneamente uma licença de sua agremiação partidária.

    O cientista político lembrou ainda que em 2017 o Tribunal Superior Eleitoral deverá julgar quatro ações impetradas pelo PSDB contra a diplomação de Dilma Rousseff e Michel Temer no pleito presidencial de 2014. Com Dilma Rousseff definitivamente afastada pelo impeachment decretado pelo Senado Federal em 31 de agosto passado, o confronto do PSDB no âmbito da Justiça Eleitoral se dará apenas contra Michel Temer:

    “Esta poderá ser uma situação muito embaraçosa para a Ministra Grace Mendonça. Então, para prevenir qualquer mal-estar, ela deve se licenciar desde já do PSDB”, conclui Ricardo Ismael.

    Tags:
    opinião, advogada, PSDB, Advocacia Geral da União, Grace Maria Fernandes Mendonça, Ricardo Ismael
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik