14:43 20 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Marina Silva da Rede Sustentabilidade lança a campanha Nem Dilma Nem Temer, Nova Eleição é a Solução
    Elza Fiuza/Agência Brasil

    Operação Turbulência pode fazer Marina Silva repensar planos políticos

    Análise
    URL curta
    7111

    Cientista político Augusto Cattoni, pesquisador do Instituto Atlântico, avalia que Marina Silva está numa situação delicada.

    A Polícia Federal deflagrou esta semana a Operação Turbulência. Empresários foram presos em Pernambuco e em outros Estados pela acusação de terem doado recursos de origem ilícita para campanhas estaduais e presidenciais. Entre os políticos beneficiados estaria o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), candidato a presidente nas eleições de 2014, morto em acidente de avião durante a campanha.

    Após a prisão dos empresários, entre os quais João Carlos Lyra de Melo, surgiram especulações de que as revelações da Operação Turbulência (derivada da Lava Jato) poderão afetar os planos da ex-Senadora Marina Silva, líder do Partido Rede, de disputar uma nova eleição presidencial. Vice de Eduardo Campos na chapa de 2014, Marina assumiu em 13 de agosto de 2014 a titularidade da chapa, após a morte do ex-governador.

    Nesta quarta-feira, 22, a Polícia Federal confirmou que o avião acidentado pertencia a João Carlos Lyra de Melo e que investigações já concluídas apontam que ele doou recursos de forma ilícita para Eduardo Campos e para o Senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE). A confirmação alimentou as especulações sobre um possível abalo nas pretensões de Marina Silva em participar de uma nova disputa presidencial.

    Sobre estas especulações, Sputnik Brasil conversou com o cientista político Augusto Cattoni, pesquisador do Instituto Atlântico. Para o especialista, Marina Silva está numa situação delicada:

    “Certamente, Marina Silva terá de reavaliar os seus planos. Embora nada se tenha demonstrado contra ela, o simples fato de ter integrado uma chapa investigada por receber recursos de origem ilícita como que a induz a refletir sobre suas pretensões presidenciais. Aliás, é tão grande o volume de informações que circulam neste país sobre apurações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal contra políticos suspeitos e acusados de envolvimento em irregularidades que nada mais me surpreende.”

    Na opinião de Augusto Cattoni, o Brasil tem como sair deste quadro de indignação da sociedade com a classe política:

    “No meu entender, a solução passa pela convocação de uma Assembleia Constituinte, mas não formada por estes políticos que estão aí. É preciso haver uma renovação radical na representação política do país. Só então os novos políticos poderiam trabalhar numa vigorosa reforma e passar o Brasil a limpo. Ninguém aguenta mais ver tanto noticiário sobre corrupção envolvendo políticos. As investigações mostram que ninguém escapa ao diligente trabalho da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Tudo está vindo à tona e todos que estão envolvidos em irregularidades estão sendo apontados para a opinião pública. Ninguém escapa. De modo que é forçoso promover uma mudança completa na representação política do país.”

    O que é a Operação Turbulência

    A Operação Turbulência foi deflagrada sobre a compra do avião, logo após o acidente que matou Eduardo Campos e outras seis pessoas, e acabou descobrindo um esquema de lavagem de dinheiro em valores próximos a R$ 600 milhões, de acordo com a Polícia Federal. Além de João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, foram presos na terça-feira, 21, os também empresários Eduardo Freire Bezerra Leite, Arthur Roberto Lapa Rosal e Apolo Santana Vieira.

    Tags:
    Operação Turbulência, Rede, Augusto Cattoni, Marina Silva, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik