16:07 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Supremo Tribunal Federal

    Deputado petista: Atos de Cunha relativos à votação do impeachment devem ser anulados

    Lula Marques/ Agência PT
    Análise
    URL curta
    6106
    Nos siga no

    “Vou recorrer ao pensamento de Ruy Barbosa para expor minha opinião sobre a decisão do Ministro Teori Zavascki, determinando o afastamento de Eduardo Cunha: ‘Justiça tardia é injustiça’”, afirma o Deputado Paulão (PT-AL).

    O parlamentar alagoano sustenta que “o Supremo Tribunal Federal já deveria ter afastado Eduardo Cunha, há muito tempo, da Presidência da Câmara dos Deputados e, conforme o Ministro Zavascki fez hoje, do seu mandato”.

    Paulão enumera:

    “Eduardo Cunha responde a vários processos no Supremo Tribunal Federal; Eduardo Cunha pressionou deputados durante o período de votação do impeachment da Presidenta Dilma Rousseff e do seu próprio julgamento pelo Conselho de Ética da Câmara; Eduardo Cunha fez vários estragos e, por tudo isso, é um anão político que não podia estar onde estava, na Presidência da Câmara dos Deputados.”

    “Por isso”, conclui o Deputado Paulão, “dou toda a razão ao Ministro José Eduardo Cardozo, advogado-geral da União, que propôs perante o Senado Federal a anulação de todos os atos de Eduardo Cunha referentes à votação do impeachment na Câmara dos Deputados. Aliás, o Brasil tem neste momento dois irmãos siameses na política: Eduardo Cunha e Michel Temer. Ou melhor, Eduardo Temer e Michel Cunha.”

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Dilma diz que foi “antes tarde, do que nunca”, afastamento de Eduardo Cunha
    Acompanhe as discussões no STF sobre o afastamento de Eduardo Cunha
    Dilma acusa Eduardo Cunha de ser o "pecado original do impeachment"
    Tags:
    golpe de Estado, impeachment, Senado Federal, Conselho de Ética, Câmara dos Deputados, STF, Michel Temer, José Eduardo Cardozo, Eduardo Cunha, Teori Zavascki, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar