21:18 28 Outubro 2020
Ouvir Rádio

    Opinião: PMDB quer se colocar como o eventual Governo que vai salvar o país da crise

    Análise
    URL curta
    1428
    Nos siga no

    A oficialização do anúncio do PMDB, na terça-feira, 29, de que deixa todos os seus cargos no Governo, de todos os escalões, suscitou as mais diversas interpretações e um pensamento unânime: a retirada do apoio do PMDB torna a Presidenta Dilma Rousseff mais vulnerável no Congresso Nacional.

    A cientista política Sônia Fleury, da Escola de Administração Pública da Fundação Getúlio Vargas, no Rio, está entre os que acreditam na maior vulnerabilidade da presidente da República. Em conversa com a Sputnik Brasil, Sônia Fleury afirmou que os ânimos políticos vão se acirrar e que a perda do apoio dos 68 deputados do PMDB poderá custar muito caro às intenções do Governo Federal de permanecer no poder até o final do seu mandato.

    A especialista diz não acreditar que o Vice-Presidente Michel Temer, presidente nacional do PMDB, esteja cogitando, com esta ruptura, preparar o lançamento de uma candidatura presidencial própria do partido para as eleições de 2018: “O cenário político está tão conturbado no Brasil, a ponto de não se ter certeza alguma do que poderá acontecer no país. Parece que 2018 ficou muito longe, e no entanto as eleições gerais acontecerão em apenas dois anos e meio.”

    “Essa ruptura já estava sendo anunciada há algum tempo. À medida que o Governo vai perdendo prestígio, o vice-presidente comanda uma saída com pompa e circunstância nesse momento de grande crise de legitimidade. Apesar de ele [Michel Temer] ter estado no Governo desde o primeiro mandato de Dilma, agora ele diz que é insuportável, que essa relação não se dá mais. É um momento de um cálculo oportunista em que o PMDB vê que o Governo está perdendo legitimidade e ele quer se colocar como o possível, eventual Governo que vai salvar o país da crise e da legitimidade. No entanto, ele esteve no Governo e foi responsável por este Governo todo o tempo. Se o Governo tem problemas, teve implicações inclusive com relação à corrupção e na Lava Jato, o PMDB não está fora disso. Vários de seus próceres estão sendo acusados nessa mesma operação em que estão membros do PT.”

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Jaques Wagner: Saída do PMDB abre espaço para Dilma repactuar o Governo
    Tags:
    Operação Lava Jato, governo, PMDB, PT, Sônia Fleury, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar