17:00 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Patriarca Kirill, chefe da Igreja Ortodoxa Russa
    ALEXANDRE MENEGHINI / AFP POOL / AFP

    Exclusivo – D. Orani Tempesta: ‘Acolhemos o Patriarca Kirill como um verdadeiro irmão’

    Opinião
    URL curta
    22509142

    Em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil, o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro afirma que “essa visita do Patriarca Kirill à América Latina é sinal de boa vontade e de aproximação, já que a América Latina é o grande continente católico do mundo, e a presença do Patriarca Kirill aqui vem trazer laços de amizade e de fraternidade”.

    O líder da Igreja Ortodoxa Russa, Kirill, Patriarca de Moscou e de Toda a Rússia, chega ao Brasil na sexta-feira, 19, para uma visita de três dias ao país. A primeira etapa da viagem será em Brasília. No sábado, 20, o Patriarca estará no Rio de Janeiro, e, no domingo, 21, em São Paulo.

    No Rio de Janeiro, Kirill cumprirá extensa programação, desde a celebração de atos religiosos junto ao Monumento do Cristo Redentor, no Corcovado, até uma visita à Paróquia de Santa Zenaide, em Santa Teresa, na qual se congregam os fiéis da Igreja Ortodoxa Russa.

    Sobre a presença do Patriarca Kirill no Brasil e, particularmente, no Rio de Janeiro, Sputnik conversou com o Cardeal Arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, que estará presente às celebrações de Kirill no Cristo Redentor.

    Além de desejar uma feliz estada ao Patriarca Kirill, Dom Orani ressaltou a importância dessa visita, afirmando que ela aproxima ainda mais os fiéis das Igrejas Católica Apostólica Romana e Ortodoxa Russa e, de uma forma mais ampla, os povos do Brasil e da Rússia.

    A seguir, a entrevista com o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro.

    Dom Orani Tempesta: Devemos agradecer a Deus por esta oportunidade de poder falar e também transmitir a nossa alegria em receber aqui no Rio de Janeiro o Patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Patriarca Kirill, e assim também poder acolhê-lo como cristão católico, na fraternidade, como irmãos que se unem, para causas comuns, para preocupação do bem comum do nosso planeta.

    S: É a primeira visita do Patriarca Kirill ao Rio de Janeiro. Entretanto, como Metropolita, ele já esteve outras vezes no Rio de Janeiro. Que importância o senhor atribui a esta visita?

    OT: Eu creio que é uma visita muito importante. Afinal de contas, o Patriarca da Igreja Ortodoxa Russa é uma pessoa importante dentro da ortodoxia, e após o encontro que ele teve com o Papa Francisco em Havana, Cuba, esta visita se tornou ainda mais importante, porque é uma continuação desse relacionamento fraterno entre os católicos e os ortodoxos russos, sabendo que cremos no mesmo Cristo, buscamos o mesmo Deus e, ao mesmo tempo, temos histórias em comum durante mais de mil anos. E esperamos que, passado tanto tempo, muita coisa, cada um permanecendo dentro da sua realidade, realizando a sua caminhada histórica, também possamos vislumbrar caminhos comuns para nós nos tempos atuais. A Arquidiocese do Rio de Janeiro recebe com muita alegria e com muita dignidade o Patriarca Kirill.

    S: O Patriarca Kirill estará no Rio de Janeiro no sábado, e o ponto alto dessa visita será a ida do Patriarca ao monumento ao Cristo Redentor, no Corcovado. O senhor estará presente às celebrações?

    OT: Sim, eu creio que o principal momento da vinda do Patriarca Kirill ao Rio de Janeiro será sua oração aos pés do monumento ao Cristo Redentor. É um desejo do Patriarca poder visitar este local que é símbolo do Brasil, poder ver essa presença e essa oração. Eu creio que o Cristo de braços abertos bem representa o acolhimento ao Patriarca e, ao mesmo tempo no alto do Corcovado, a nossa oração para que haja paz em nossa sociedade, em nosso mundo. E eu estarei, se Deus quiser, presente, acolhendo o Patriarca no patamar do Redentor, mesmo porque ali é um santuário da Igreja Católica, santuário arquidiocesano, e queremos acolhê-lo como um irmão que chega para rezar e ali fazermos orações juntos.

    S: Em nossa entrevista anterior nós perguntamos ao senhor quando poderia acontecer a reaproximação entre as Igrejas Católica Apostólica Romana e Ortodoxa Russa, e o senhor nos disse que ela aconteceria em menos tempo do que se imaginava. Então, está aí comprovado o que o senhor nos disse há menos de dois anos.

    OT: Realmente, eu creio que os passos vão ficando maduros. E ao mesmo tempo que nós vamos vendo a necessidade de os cristãos se aproximarem, respeitando a identidade, a tradição e a história de cada um, é uma oportunidade também de ver que nós podemos estar juntos em tantos aspectos importantes para a sociedade. Eu creio que essa visita do Patriarca Kirill à América Latina é sinal de boa vontade, de aproximação, já que a América Latina é o grande continente católico do mundo, e a presença do Patriarca Kirill aqui vem trazer esses laços de amizade e de fraternidade.

    Mais:

    Papa Francisco e Patriarca Kirill pediram por preces para evitar uma nova guerra mundial
    Patriarca Kirill: as igrejas Ortodoxa e Católica podem cooperar ativamente
    Tags:
    ortodoxos, Cristo Redentor, fraternidade, Deus, catolicismo, religião, Igreja Ortodoxa, Igreja Católica, Dom Orani Tempesta, Kirill, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik