09:18 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio

    Infectologista: grande fluxo de pessoas nos Jogos Olímpicos pode disseminar zika no mundo

    Análise
    URL curta
    Zika Vírus: Alerta global (77)
    004
    Nos siga no

    O Rio de Janeiro vive um momento delicado. Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos serão realizados a partir de agosto, em meio ao pânico internacional sobre o vírus zika e a dengue, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Egypti.

    De acordo com Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde, de 1º a 25 de janeiro foram notificados 3.954 casos suspeitos de dengue no Estado do Rio. Em 2015, durante o mesmo período, foram registrados 2.584 casos. Quanto ao zika vírus, o Rio de Janeiro é o estado com mais registros de casos suspeitos da doença no Sudeste do país, são 122 notificações.

    A Prefeitura e o governo do Rio tem intensificado as ações de combate aos focos do mosquito pela cidade e estado. As instalações onde serão realizadas as provas olímpicas, por exemplo, foram tratadas contra o mosquito transmissor.

    Em entrevista exclusiva para Sputnik Brasil, o infectologista e diretor do Instituto de Pediatria da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Edimilson Migowski, explicou que o pânico em torno do zika vírus, a principal preocupação do governo brasileiro hoje, teve início na Copa do Mundo em 2014, quando a doença chegou ao país. “Na verdade, o pânico se deve por conta da entrada desse vírus em 2014 no Brasil, na Copa do Mundo. O vírus entrou e encontrou infelizmente duas situações muito favoráveis para sua disseminação: o vetor, que é o mosquito, e uma população totalmente vulnerável a esse tipo de vírus. Até então, era um vírus que não circulava pelo Brasil e nas Américas. Nós importamos o vírus em 2014, e agora em 2016, por conta do descontrole no combate ao vetor, ao mosquito Aedes Aegypti, vamos exportar o problema para vários outros países nos quais o Aedes também predomina.”

    O Infectologista alerta que pelo menos 1/3 da população mundial se encontra  em área de risco para doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. “Porque o Aedes está espalhado pelo mundo todo. O Aedes ou outro tipo de mosquito que se assemelha a ele e que tem a mesma competência de transmitir várias viroses, como os quatro tipos de dengue, chikungunya, zika, febre amarela, mayara vírus e alguns outros vírus, com os quais não temos muita experiência no Brasil. Desta forma, onde tem mosquito existe potencial para a transmissão desses vírus. Por isso que acabamos, nesse momento, sendo um terreno fértil para a disseminação da doença.”

    Edimilson Migowski teme que, com o grande fluxo de pessoas de vários países durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos no Rio de Janeiro, o vírus se expanda cada vez mais para o mundo. “O temor que eu tenho é que, com esse afluxo de pessoas muito grande do mundo inteiro para o Rio de Janeiro, se tenha mais pessoas aqui sendo picadas pelo Aedes e levando para suas regiões, para as suas casas, o vírus no corpo. E aí, lá no seu país de origem, poderá ser picada pelo Aedes e perpetuar ou introduzir o vírus nesses novos países e disseminar o vírus pelo mundo inteiro.”

    Segundo o médico, para que a situação não se agrave durante as Olimpíadas, será necessária a participação da sociedade. “É preciso intensificar o combate ao mosquito, pois 80% dos criadouros se encontram nas casas das pessoas. Cada um precisa ser o seu próprio agente sanitário, senão vamos ficar, infelizmente, contabilizando um número de casos cada vez maior em relação ao zika vírus, chikungunya e dengue.”

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Tema:
    Zika Vírus: Alerta global (77)

    Mais:

    Vacina contra vírus Zika só ficará pronta em 2 anos
    Governo divulga protocolo de atenção a gestantes e bebês contra zika e microcefalia
    Fiocruz desmente informação sobre Zika que circula no WhatsApp
    Exército vai ajudar na guerra ao mosquito da dengue e do zika
    OMS e OPAS emitem alerta mundial sobre o vírus Zika
    Tags:
    Brasil, Rio de Janeiro, Edimilson Migowski, Rio 2016, Jogos Olímpicos, Copa do Mundo, dengue, epidemia, Chikungunya, zika, Aedes Aegypti, febre amarela, mayara vírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar