17:57 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Bandeira do Brasil

    Oliver Stuenkel e os 10 desafios do Brasil no cenário internacional

    © AFP 2019 / TASSO MARCELO
    Análise
    URL curta
    4103

    “Diante do difícil momento que a vida política do Brasil está vivendo, é muito importante que o país dinamize a sua política externa.” A opinião é do cientista político Oliver Stuenkel, que elenca os 10 principais desafios do Brasil no cenário internacional em 2016.

    Oliver Stuenkel, professor de Relações Internacionais e coordenador da Escola de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, diz que a política exterior brasileira precisa “ser entendida como altamente necessária e, até por estas questões, ser utilizada como uma das ferramentas necessárias ao fortalecimento do país perante a comunidade internacional”.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, a propósito dos artigos que escreveu para a revista “Carta Capital” sob o título de “Os 10 Principais Desafios da Política Externa Brasileira em 2016”, o Professor Stuenkel cita a necessidade de “consertar a economia; recuperar a liderança regional; colocar os direitos humanos e a democracia de volta na agenda; recuperar a voz perdida do Brasil frente a desafios globais; buscar mais acordos de livre comércio; convencer a presidente, o Congresso e a população de que política externa importa; desenvolver expertise de ponta em segurança cibernética; preparar-se para um mundo mais centrado na Ásia; continuar a trabalhar para reformar instituições internacionais; e, por fim, utilizar as Olimpíadas para promover a imagem desgastada do Brasil no mundo.”

    Sobre este aspecto específico, o cientista político declara que as Olimpíadas e Paralimpíadas são a ocasião ideal para o Brasil tirar o máximo proveito destes grandiosos eventos esportivos, a fim de, através de suas representações diplomáticas pelo mundo e junto a organismos internacionais, acentuar a importância do país, que, mesmo com as conhecidas dificuldades, soube se preparar para acontecimentos de tamanha magnitude.

    Em relação à recuperação da liderança regional, Oliver Stuenkel destaca os esforços feitos pelo ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva para demonstrar que o Brasil, devido ao seu tamanho e à sua projeção continental, pode estar à frente do grande bloco formado pela América do Sul.

    Oliver Stuenkel recomenda ainda que o Brasil se preocupe muito com o aperfeiçoamento dos modelos democráticos em todo o mundo e principalmente no continente, combatendo as violações dos direitos humanos e o tráfico internacional de pessoas, drogas e armas, e criticando duramente toda e qualquer tentativa de cerceamento de liberdades.

    Todos estes aspectos, conclui Oliver Stuenkel, se devidamente trabalhados pela política externa do Brasil, contribuiriam em muito para o revigoramento do país no exterior.

    Tags:
    política externa, relações internacionais, Rio 2016, Oliver Stuenkel, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar