17:03 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Participantes do protesto após o abate do Su-24 empunham um cartaz em frente do edifício da embaixada da Turquia em Moscou, 25 de novembro de 2015

    ‘Turquia deve dar passos para regularizar situação com Su-24’

    © AFP 2017/ KIRILL KUDRYAVTSEV
    Opinião
    URL curta
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    42654211

    O ex-ministro do Turismo turco, Ertugrul Gunay, afirmou em entrevista à Sputnik que o incidente do Su-24 terá efeito negativo para a Turquia em muitas áreas.

    Depois do abate do Su-24 os líderes russos declararam que todos os acordos com a Turquia serão revisados e recomendaram aos cidadãos do país para não visitar a Turquia. O comunicado oficial do Ministério das Relações Exteriores russo diz que o incidente tem “o caráter provocatório e terá consequências graves para as relações bilaterais”.

    Na opinião do ex-ministro, a reação russa às ações turcas foi inevitável.

    “[…] as ações que obstaculizam a sua [da Rússia] luta contra o terrorismo inevitavelmente deviam provocar uma reação de resposta dura. O incidente do avião russo é um caso concreto. Nesta situação a Rússia não podia reagir de forma branda, […] fechar os olhos ao que aconteceu”, disse Gunay.

    O político concorda que a situação atual terá mais efeito negativo para a Turquia em áreas diplomática e econômica que a militar.

    “A Rússia é um país importante para nós”, afirmou Gunay.

    O ex-ministro turco acrescentou que a Rússia é o maior parceiro comercial da Turquia, além disso, os dois países têm muitos projetos conjuntos na área de energia.

    Gunay disse que um conflito de interesses russos e turcos na Síria se tornou cada vez mais possível e afinal se tornou inevitável e infelizmente isto resultou em abate de um avião e morte de um piloto. O ex-ministro turco opina que uma saída da situação atual pode ser renúncia de política errada em relação à Síria e uma posição mais balançada e clara em relação ao Estado Islâmico que pode ser apoiada pela toda a comunidade internacional.

    “Estou seguro que a tensão nas relações bilaterais pode gerar mais problemas como para a segurança na região tanto para a economia da Turquia”, disse Gunay.

    O político expressou a sua certeza de que a Turquia deve fazer tudo possível para que a situação não agrave mais e usar medidas diplomáticas.

    “[…] não convém esquecer-se que o avião russo não presentou ameaça para a segurança da Turquia”, afirmou Gunay. “Trata-se da presença durante meio-minuto ou mesmo durante 20 segundos do avião russo no nosso território. Não pode ser interpretado como um ataque direto contra a Turquia”, disse.

    Gunay opinou que em breve a Turquia não conseguirá restaurar a confiança dos russos na Turquia, especialmente no que respeita ao setor de turismo.

    “Sem dúvida, um ressaibo nas relações bilaterais permanecerá por muito tempo”, sublinhou o político.

    “Deve ser lembrado que no ano passado enfrentamos dificuldades na área de turismo. Os indicadores do ano em curso mostram uma queda de 30% no setor turístico”.

    O ex-ministro turco afirmou que esperava que a Rússia ocupasse o primeiro lugar entre os países para os quais a Turquia serve do destino turístico principal. Mas agora isto não será possível.

    Nesta terça-feira (24), um bombardeiro russo Su-24 foi derrubado por um míssil ar-ar turco em espaço aéreo sírio. Ancara declara que derrubou o avião russo porque ele violou o espaço aéreo turco, mas o Ministério da Defesa da Rússia sublinha que durante todo o voo o avião se manteve sempre sobre o território da Síria. "Isto foi registrado por meios de controle objetivos", acrescentou o departamento militar. O presidente russo Vladimir Putin chamou ao abate do avião "golpe nas costas" por parte dos coniventes com o terrorismo.

    Tema:
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    Tags:
    espaço aéreo, violação, turismo, comércio, relações bilaterais, Su-24, Rússia, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik