18:17 21 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Notas

    Opinião: aumento acentuado do dólar é agonia mortal

    © Sputnik/ Vladimir Trefilov
    Opinião
    URL curta
    13040481

    O dólar enfrenta a ameaça iminente da queda e o seu aumento acentuado é o seu “chocalho de morte”, opina o famoso economista norte-americano e o apresentador do canal de TV russo RT em Londres, Max Keiser.

    O economista Keiser, em entrevista à publicação chinesa Epoch Times, expressou a opinião de que daqui em breve o domínio de dólar será substituído por um novo sistema financeiro, sem a chefia norte-americana.

    “Quando tudo isso acabar, a China, a Rússia, o Irã e outros países vão realizar comércio sem usar a moeda norte-americana. Desta maneira, vamos viver em um mundo onde o dólar não será a moeda de reserva mundial. O mundo monetário será multipolar”, declarou Keiser.

    Segundo nota o economista, o colapso do dólar não significará que o dólar será substituído pelo yuan chinês como a moeda de reserva mundial.

    Ele está convencido de que o líder mundial financeiro será o país que o mais rápido irá garantir a sua moeda com o ouro porque o ouro, em sua opinião, é o meio seguro de preservar a sua riqueza:

    “Caso a Rússia introduzir um rublo de ouro, ele certamente vai dominar o mundo. Caso o Irã de repente, será capaz de vender os seus ativos de energia não por dólares, mas por alguma outra moeda, a situação política no mundo será totalmente diferente. Quer dizer, tudo mais uma vez retorna ao ouro.”

    Ao que diz respeito à perspectiva do mercado mundial de longo prazo, Max Keiser não fez comentários mas predisse a queda dos maiores bancos europeus e o próximo confisco de depósitos bancários semelhante a que aconteceu em Chipre. Segundo Keiser, Bruxelas já aprovou uma série de leis para pavimentar o caminho para estas medidas.

    Mais:

    No maior valor em quase 12 anos dólar fecha em quase R$ 3,30
    Apesar da alta do dólar, brasileiros gastam mais no exterior
    Tags:
    rublo, yuan, Dólar, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik