21:47 20 Julho 2017
Ouvir Rádio
    Benjamin Netanyahu

    Chris Murphy: Netanyahu dificulta as negociações sobre o programa nuclear iraniano

    © AP Photo/ Cliff Owen
    Opinião
    URL curta
    0 43732

    O senador norte-americano Chris Murphy está certo de que o discurso do primeiro-ministro de Israel sobre o “radicalismo” do regime iraniano e a sua avaliação negativa do possível acordo entre o grupo 5+1 e Teerã sobre o programa nuclear do Irã está criando dificuldades.

    O discurso do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, para o congresso dos EUA está criando novas dificuldades para as negociações de Teerã com o grupo 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança mais a Alemanha) sobre o programa nuclear iraniano, afirmou ao Sputnik o senador Chris Murphy.

    Nesta terça-feira o premiê israelense discursou pela terceira vez para as duas câmaras do congresso norte-americano. Ele chamou o regime iraniano de “radical” e destacou que o país é uma ameaça ao mundo todo. O acordo em negociação com Teerã foi chamado por Netanyahu de “muito ruim”. A autoridade israelense chegou a dizer que “seria melhor que não houvesse acordo”. 

    “Eu creio que ele (Netanyahu) está criando barreiras para as negociações, barreiras que não existiam antes”, disse o interlocutor da agência. 

    Por outro lado, a influente senadora democrata Dianne Feinstein, também presente no discurso de Netanyahu, afirmou ao Sputnik que o premiê israelense não apresentou nenhuma alternativa para o caso das negociações com Teerã fracassarem. “Algo faltou no discurso de Netanyahu. O que acontecerá depois, caso o acordo não seja alcançado?”, perguntou Feinstein.

    A Casa Branca se pronunciou de modo semelhante. Segundo o seu representante, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, durante o discurso para o congresso, não ofereceu nada de concreto para a solução do problema nuclear iraniano. 

    Em novembro de 2013, em Genebra, os seis mediadores internacionais e o Irã concordaram em preparar um acordo, que garantiria o caráter exclusivamente pacífico do programa nuclear iraniano em troca da retirada das sanções contra o país. Após um ano o acordo não saiu. Somente se chegou a um plano intermediário de ações. As partes estenderam as negociações até o final de julho de 2015.

    Tags:
    programa nuclear iraniano, Congresso dos EUA, Benjamin Netanyahu, Dianne Feinstein, Chris Murphy, Israel, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik