20:08 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Dr. Robert Rey

    Exclusivo – Dr. Rey, candidato à Presidência da República: 'O Brasil não é uma democracia'

    Reprodução do Facebook
    Notícias
    URL curta
    573127

    Há algumas semanas, o cirurgião plástico Robert Rey, formado pela Universidade Harvard, revelou ser pré-candidato à Presidência da República em 2018. Agora, em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil, dá detalhes de seus planos para comandar os destinos do país.

    Entre os planos da candidatura do Dr. Robert Rey estão o de colocar o Brasil no mapa do primeiro mundo, fortalecer os laços com os países mais adiantados e, o que ele considera como altamente prioritário, implementar e consolidar os laços com a Rússia, país pelo qual revela ter grande apreço, por sua História, por seu povo e pelo Presidente Vladimir Putin, a quem considera como seu "exemplo número 1".

    Nascido em São Paulo em 1 de outubro de 1961 e registrado como Roberto Miguel Rey Júnior, ele mora em Beverly Hills, Los Angeles, de onde comanda seu império de diversas clínicas de cirurgia plástica nos Estados Unidos e em outros países. Só no Brasil, são 35 clínicas, conforme ele mesmo revela nesta entrevista. Além de se dedicar à Medicina, Dr. Robert Rey é apresentador de reality shows, e foi assim que se tornou conhecido como Dr. Hollywood, devido à sua projeção e à quantidade de estrelas do cinema que opera e já operou.

    Agora seus planos são mais ambiciosos. Ele quer ser presidente da República do Brasil.

    "É muito triste constatar que, mesmo o Brasil dizendo ao mundo que reserva 4,5% do seu PIB para a educação (assim como fazem os Estados Unidos), essa é uma das grandes mentiras do país. Nosso Governo inteirinho é uma grande mentira. Ele diz que dedica 4,5% do Produto Interno Bruto para a educação, e isso não acontece. Eu saí do Brasil quando tinha 12 anos e o país estava aos pedaços. Volto ao país, muitos anos depois, e, incrível, eu o encontro novamente aos pedaços, com a economia de joelhos e com o Governo mais corrupto da história do mundo, o PT. E o Brasil ainda está de joelhos por causa do comunismo. Eu acho que, no mundo democrático moderno, o melhor presidente do Brasil foi Juscelino Kubitschek, um cirurgião. Resumindo: o primeiro presidente, que modernizou a História do Brasil, foi o cirurgião Juscelino Kubitschek. O segundo cirurgião, na História do Brasil, que levará o Brasil para o primeiro mundo, sou eu. Então, você poderá perguntar: um médico na política? Sim. Médico já tem uma liberdade financeira, uma segurança financeira, e é uma pessoa superculta. Quando um médico se volta para a política, é por dever com a pátria. Saí do Brasil aos 12 anos. Os americanos me adotaram, me acolheram e eu pude fazer nos Estados Unidos minha carreira como médico. Imagine, eu fui criado em Utah, talvez o estado mais conservador dos Estados Unidos. E os mórmons me ensinaram o valor da honestidade. O que o Brasil está precisando em Brasília é de honestidade. Então, eu volto ao Brasil para me candidatar à Presidência da República por vários motivos."

    Robert Rey, então, enumera seus motivos para querer presidir o país:

    "Número 1: eu sou formado pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos, em Medicina e em Economia. Número 2: Sou honesto. Como disse antes, os mórmons me ensinaram o valor da honestidade. Número 3: Eu sou o sétimo médico mais rico do mundo. Eu não falo isso para me mostrar, mas, sim, para demonstrar que não preciso do salário de presidente da República. Número 4: Volto ao Brasil para tentar acabar com aquela sensação incômoda de que, no exterior, fazem muito pouco caso de nós. Estou cansado de ouvir perguntas do tipo ‘em que parte da África fica o Brasil?’. Eu estou cansado de ver o próprio Brasil deixar o mundo rir de nós. Eu vou morrer pelo Brasil e, provavelmente, de morte violenta. Ou você pensa que eu não sei o risco que corro ao dizer que sou um candidato de centro-direita?"

    Dr. Rey cita então outro presidente, este dos Estados Unidos:

    "Agora, vou usar as palavras de Abraham Lincoln: 'Eu faço questão de colocar no altar da minha nação o meu último e mais importante sacrifício, o sacrifício da minha vida. Eu vou morrer pela minha nação.' Eu, Dr. Robert Rey, estou cansado desses comunistas humilharem a minha nação."

    Vice-Presidente do PEN – Partido Ecológico Nacional, pelo qual disputou (e não ganhou) uma vaga de deputado federal por São Paulo nas eleições gerais de 2014, Dr. Robert Rey ainda não se definiu por qual legenda apresentará sua candidatura em 2018:

    "Eu queria criar um partido chamado LOVE, a palavra em inglês para 'amor'. Mas esta sigla LOVE seria não só amor como também a reunião de suas sílabas: Lo + Ve. 'Lo' significando Liberdade para os oprimidos, e 'Ve', vidas ecológicas. Sobre o Lo, Liberdade para os oprimidos: os brasileiros, oprimidos, sofreram o maior estupro político de sua história. E sobre o Ve, vidas ecológicas: na minha mansão, em Beverly Hills, eu tenho pumas, os leões norte-americanos, passando pelos meus hectares; tenho cervos; lobos; tenho vários animais, enfim, aqui em Los Angeles, a sétima maior cidade do mundo. Eu tenho a maior fauna animal passando por aqui. E por que isso acontece? Porque os americanos não matam suas criaturas. Eu tenho 35 clínicas no Brasil, 5 delas no Estado do Amazonas. Nunca vi um tucano por lá; nunca vi uma anta; só vejo muito falatório. Os políticos falam, falam, falam mas não vão para as ruas. Eu nunca vi um político nas ruas do Brasil. Nem durante a minha campanha para deputado federal. O Brasil não é uma democracia. Aqui, tudo é manipulado."

    De volta à questão sobre o partido pelo qual disputará a Presidência, Dr. Rey diz que "está muito em cima da hora para eu criar um novo partido político conservador. Então, estou cogitando concorrer pelo PEN – Partido Ecológico Nacional, o único partido ecológico conservador no mundo, ou pelo Partido das Mulheres. As mulheres me apoiam muito. As mulheres brasileiras me apoiam ao ponto da loucura. Como a minha profissão é muito feminina, eu tenho quase uma obsessão pelas mulheres. Então, talvez eu faça minha campanha à Presidência da República pelo Partido das Mulheres."

    Ao final da entrevista, Dr. Robert Rey reservou grandes elogios para a Rússia e para o seu presidente, Vladimir Putin:

    "É muito importante eu elogiar o presidente da Rússia, Vladimir Putin. O Presidente Putin ergueu a cabeça da Rússia. Ele mudou a economia do país. Ele é meu exemplo número 1. Quando eu for presidente do Brasil, nós vamos ter uma interação muito mais forte com a Rússia. Nós vamos ter um vínculo mais forte com esse país. Eu quero ter um vínculo muito forte com Vladimir Putin. Ele ergueu a cabeça da nação russa. Ele é respeitado na Rússia, o país que transformou numa poderosa nação. Mas não é só o Putin que eu amo e louvo como exemplo de líder. É também a História da Rússia, é também o povo russo. Quando eu morrer, quero ter minhas cinzas despejadas sobre Moscou, em solo russo. Porque o que essa gente russa faz, há mais de mil anos, é incrível. Tudo isso é um grande exemplo para mim. Uma das primeiras coisas que vou fazer como presidente do Brasil é visitar Moscou e o Presidente Vladimir Putin. Ele é uma grande pessoa e um grande ídolo do Dr. Rey."

    Tags:
    cirurgião, eleições presidenciais, comunismo, ecologia, medicina, Dr. Robert Rey, Juscelino Kubitschek, Vladimir Putin, Los Angeles, Hollywood, Amazonas, São Paulo, EUA, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik