14:50 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Cristo Redentor

    A crise chega ao Cristo: Uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno está sem dinheiro

    Alexandre Macieira/ Riotur
    Notícias
    URL curta
    902

    Na terça-feira, 13, às 4 horas da tarde, no alto do morro do Corcovado, o Arcebispo Metropolitano do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, lançará a campanha Amigo do Cristo Redentor. A ação tem o objetivo de arrecadar fundos para a manutenção de toda a infraestrutura do monumento.

    Falando à Sputnik Brasil sobre a campanha Amigo do Cristo, o Padre Omar Raposo, reitor do Santuário do Cristo Redentor, conta que a mobilização popular sempre manteve o monumento e é diretamente responsável pela sua existência:

    "O [Monumento ao] Cristo Redentor, desde a sua origem, foi pensado e construído a partir da mobilização popular. De tal forma que todo recurso arrecadado pela Igreja Católica para a construção do Cristo foi trazido por doações dos fiéis. E, trabalhando em torno desse resgate histórico, nós queremos mais uma vez fazer uma campanha que vise a arrecadar fundos para a manutenção do Cristo. Não temos receitas oriundas de parcerias institucionais ou, quem sabe, do próprio fluxo turístico em torno do monumento. Hoje temos a iniciativa privada ou recursos próprios da Igreja, que mantêm este monumento sempre conservado, além de toda a infraestrutura de funcionários, de planejamento, de comunicação, de tecnologia, que existe vinculada ao monumento do Redentor."

    O Padre Omar revela quanto custa a manutenção do complexo:

    "Em torno de R$ 3 milhões custa toda a parte de infraestrutura [por ano]. Também temos o restauro das pedras-sabão e [os danos causados pelos] contínuos ataques de raios e intempéries. Este é um monumento que está ao ar livre, e isso provoca uma série de desgastes ao longo do ano. Por isso, essa reforma é contínua. Além de tudo, nós temos trabalhos sociais e culturais vinculados ao monumento, além de uma estrutura profissional que garante o bom funcionamento e o acolhimento do Cristo Redentor no alto do Corcovado."

    A falta de recursos financeiros pode prejudicar diversos serviços relacionados ao Cristo, como, por exemplo, sua tão elogiada iluminação. Mas há outros fatores também que devem ser levados em conta, segundo o religioso:

    "Não somente a iluminação [pode ficar prejudicada]. Todo o monumento pode ficar deteriorado. Nós temos um gasto grande para deixá-lo, de fato, como um símbolo capaz de comunicar alguma coisa, de estar ligado a uma campanha de cidadania. É um espaço onde temos procurado receber lideranças mundiais, campanhas de cidadanias diversas. É um ambiente que traz sua dinâmica também ecumênica, inter-religiosa. Inúmeras lideranças religiosas já passaram pelo Cristo Redentor. Este ano tivemos o Patriarca russo Kirill, que esteve conosco numa visita muito especial e histórica para nós. Precisamos, portanto, receber bem, e essa recepção passa por uma estrutura adequada. Ora, isso é dispendioso, custa dinheiro, e nós queremos poder fazer isso com muita qualidade." 

    Os valores dos ingressos cobrados para se ter acesso ao Cristo Redentor não se destinam à Arquidiocese, como poderia parecer, mas sim ao administrador do Parque Nacional da Tijuca (onde o monumento está instalado), o Ministério do Meio Ambiente. Na alta temporada, adultos pagam R$ 74 pela tarifa do trem com a visita, e R$ 61 na baixa temporada. Nas vans especiais, os preços cobrados variam conforme o ponto de embarque: Paineiras, Barra da Tijuca, Copacabana e Largo do Machado. Sobre isso, diz o Padre Omar Raposo:

    "Na verdade, a pessoa não paga para ir ao Cristo, ela paga pelo transporte que leva ao Cristo. Quem tem que dizer para onde vai o recurso é quem recebe: o Ministério do Meio Ambiente, através do Instituto Chico Mendes. Não conheço a tramitação interna dos recursos; o que nós sabemos é que temos um monumento, que é propriedade da Igreja, dentro da área do Parque, e que a Igreja tem que manter seu patrimônio, e para isso estamos pedindo ajuda."

    Todos os detalhes da campanha e de como se pode contribuir estão no site oficial do Santuário do Cristo Redentor

    Segundo o sacerdote, o site detalha o passo a passo para a pessoa se tornar um "Amigo do Cristo" e poder colaborar.

    Para o Padre Omar, "o Monumento ao Cristo Redentor é um espaço que precisa estar sempre bem qualificado, porque além de tudo ele é a porta de entrada do turismo brasileiro".

    "[O Cristo Redentor] é o garoto-propaganda de nosso país. É o grande símbolo dessa nação. Precisa estar bem conservado, e nós precisamos de ajuda para fazer isso. Não há nada de ruim em pedir ajuda, principalmente quando nós não temos receita alguma, a não ser da iniciativa privada, que ocasionalmente tem nos ajudado. Estamos pedindo ajuda à população para resgatar a história de um Cristo que foi construído através do dinheiro do povo e mais uma vez precisa ser mantido com o dinheiro do povo."

    Tags:
    parque ambiental, crise, religião, turismo, Corcovado, Cristo Redentor, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Ministério do Meio Ambiente, Patriarca Kirill, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik