06:32 17 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Um participante da manifestação contra o presidente do Burundi, Pierre Nkurunziza, em Bujumbura, 22 de maio de 2015.

    Burundi faz piada com acusação de genocídio

    © REUTERS/ Goran Tomasevic
    Notícias
    URL curta
    0 20402

    País enfrenta crise de violência desde o ano passado, quando o presidente Pierre Nkurunziza desafiou a Constituição e concorreu ao cargo pela terceira vez consecutiva.

    Usando a hashtag #ThisIsMyGenocide (Este é Meu Genocídio), o porta-voz do governo do Burundi, Willy Nyamitwe, lançou hoje uma campanha através do Twitter para fazer piada sobre as denúncias que acusam o governo de crimes contra a humanidade.

    A ação ocorre depois da Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH) divulgar um relatório em que alerta para a possibilidade de um genocídio contra os tutsi.

    O país passa por uma forte crise de violência desde o ano passado presidente, Pierre Nkurunziza, concorreu a um terceiro mandato, o que é proibido pela Constituição burundinesa.

    Desde então, mais de mil foram assassinadas, 8 mil foram feitos prisioneiros políticos, milhares de detenções arbitrárias foram realizadas, entre 300 e 800 desaparecem e mais de 310 mil pessoas empurradas ao exílio, segundo dados da ONU.

    Na semana passada, a FIDH apresentou, sob a hashtag #StopThisMovie (Paremos este filme), um trailer fictício do filme inexistente "Genocídio no Burundi".

    ​Em resposta, Nyamitwe disse:

    "Nós desfrutamos da paz, da alegria de viver em harmonia, hutu, tutsi e twa, apesar de a FIDH querer nos dividir", escreveu nesta quinta-feira o porta-voz em sua conta da rede social, onde publicou fotos com gatos, brincando ou dançando para mostrar a aparente normalidade na qual vive seu país".

    O Tribunal Penal Internacional abriu um inquérito para apurar a responsabilidade de Nkurunziza, que reagiu proibindo a entrada dos investigadores da ONU e anunciou sua retirada do marco jurisdicional de Haia.

    Mais:

    Human Rights Watch: Inteligência do Burundi tortura opositores
    Granadas deixam mortos e feridos no Burundi durante visita de Ban Ki-moon
    Ataque a bomba deixa mortos e feridos em Bujumbura, no Burundi
    Presidente do Burundi garante que eleições ocorrerão de forma pacífica
    Tags:
    Federação Internacional de Direitos Humanos, ONU, Willy Nyamitwe, Pierre Nkurunziza, Burundi
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik