21:27 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente argentino Maurício Macri profere discurso na Casa Rosada depois de procurador federal da república entrar com um pedido de investigação da sua participação na offshore bahamense

    Macri quer se encontrar com Putin durante a reunião do G-20 na China

    © AFP 2019/ JUAN MABROMATA
    Notícias
    URL curta
    885
    Nos siga no

    O presidente da Argentina, Maurício Macri, quer se encontra com o presidente russo, Vladimir Putin, durante a reunião do G-20 em setembro na cidade de Hanzhou, na China, confirmou o Ministério das Relações Exteriores da Argentina.

    Segundo a ministra das Relações Exteriores, Susana Malcorra, a agenda entre os dois mandatários deve incluir todos os temas da agenda política comum, incluindo temas econômicos de interesse de ambos os países. Esta será o primeiro encontro entre os dois presidentes que até agora só se falaram por telefone, em junho, quando ambos acordaram em ampliar as relações comerciais e cooperar na luta contra o narcotráfico.

    A marcação do encontro se deu por iniciativa de Macri, que tenta ampliar seu leque de diálogo geopolítico, reaproximando a Argentina dos Estados Unidos, onde ainda negocia a reestruturação de sua dívida com os chamados fundos abutres e outros credores internacionais, assim como a União Europeia e países asiáticos. 

    Logo após sua posse, em dezembro do ano passado, após derrotar Cristina KIrchner, pondo fim a 15 anos de governos kirchneristas, Macri tem promovido diversas ações no campo econômico, procurando destravar o comércio exterior, inclusive com o Brasil, embora tenha dispensado atenção cada vez menor ao Mercosul.

    Mais:

    Argentina estuda possibilidade de realização de projetos nucleares pela Rússia
    Quase 200 mil perderam emprego na Argentina no governo Macri
    Tags:
    cúpula, reaproximação diplomática, agenda, política, economia, diplomacia, Mercosul, G20, Vladimir Putin, Maurício Macri, China, Rússia, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar